Jornal Diário Jornal das 13

Independência da Catalunha poderia alastrar a outras regiões da UE - Juncker

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luxemburgo, 13 out (Lusa) -- O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, considerou hoje que se a Catalunha se tornar independente há o risco de outras regiões europeias tentarem o mesmo, esclarecendo que Bruxelas não vai mediar o conflito com Madrid.

"Se a Catalunha se tornar independente, outros fariam o mesmo e isso não me agrada", disse Juncker, discursando na Universidade do Luxemburgo e citado pela agência EFE.

O líder do executivo comunitário adiantou ser já "suficientemente difícil" uma União Europeia a 28, sublinhando que "seria impossível" com muitos mais Estados-membros.

Sobre a recusa da Comissão Europeia a servir de mediadora entre os independentistas da Catalunha e Madrid, Juncker explicou que Bruxelas só interfere nas negociações entre Estados-membros.

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, deu na quarta-feira cinco dias ao presidente regional catalão, Carles Puigdemont, para clarificar se declarou ou não a independência na região, na sequência do referendo de 01 de outubro, considerado ilegal.

No seu discurso de terça-feira, Puigdemont disse que assumia o mandato dado pelo povo catalão para que a Catalunha seja um "Estado independente", mas propôs ao Parlamento suspender os efeitos de uma declaração de independência - que nunca referiu explicitamente - por "algumas semanas" para facilitar um diálogo com Madrid.

Caso Puigdemont confirme que declarou a independência da Catalunha, Madrid dar-lhe-á um prazo suplementar -- até ao próximo dia 19 -- para fazer marcha atrás, antes de recorrer ao artigo 155.º da Constituição, que permite ao Governo espanhol suspender a autonomia da região.

O artigo 155.º da Constituição espanhola, nunca usado desde que o texto fundamental foi escrito e aprovado em 1978, permite a suspensão de uma autonomia e dá ao Governo central poderes para adotar "as medidas necessárias" para repor a legalidade.

IG (NVI) // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Mais de 600 estradas bloqueadas em Hong Kong após passagem do tufão Mangkhut

Mais de 600 estradas estão bloqueadas em Hong Kong devido aos destroços provocados pela passagem do tufão Mangkhut, no domingo, que deixou mais de 200 feridos naquele território, noticiou hoje um jornal local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.