Jornal Diário Jornal das 13

WWF insiste em criação de área protegida na Antártida após morte em massa de pinguins

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Sydney, Austrália, 13 out (Lusa) -- O Fundo Mundial para a Natureza (WWF) insistiu hoje na criação de uma área marinha protegida na Antártida Oriental após a morte em massa de crias de uma colónia de pinguins-de-adélia no início do ano.

Apenas dois sobreviveram na última temporada de reprodução nesta colónia que conta com 36.000 exemplares de pinguins-de-adélia (Pygoscelis adeliae) que se alimentam principalmente de krill (pequenos crustáceos) encontrado perto do seu habitat em Terra Adélia na Antártida Oriental.

As mortes foram associadas à extensão incomum das camadas de gelo até ao final do verão, o que obrigou os pinguins adultos a percorrerem distâncias maiores para procurar comida para as suas crias. Devido às longas viagens e ao tempo de espera, as crias morreram de fome, explicou a organização não-governamental de defesa do ambiente.

Este incidente, a par com um outro, idêntico, ocorrido há quatro anos, levou a WWF a pedir a proteção das águas da Antártida Oriental nas vésperas da reunião anual da Comissão para a Conservação dos Recursos Marinhos Vivos da Antártida (CCAMLR), que se realiza na próxima semana na cidade australiana de Hobart e que irá analisar as propostas para a criação de áreas protegidas na zona.

"O risco de abrir esta área à exploração da pesca de krill", que desfalcaria a base alimentar dos pinguins-de-adélia, enquanto "tentam recuperar-se de dois catastróficos fracassos reprodutivos em quatro anos é impensável", afirmou o chefe dos programas polares da WWF, Rob Downie.

"Por isso, a CCAMLR precisa atuar com rapidez e adotar uma nova área marinha protegida nas águas em frente à costa da Antártida Oriental para proteger a casa destes pinguins", argumentou o ativista.

A proposta para a criação desta área marinha protegida na Antártida Oriental, liderada pela Austrália, França e União Europeia, tem estado em cima da mesa durante oito anos sem que se tenha alcançado um acordo.

A CCAMLR, criada em 1982, tem como missão a conservação dos recursos da vida marinha no Antártico.

DM // EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Epidemia de cólera mata cerca de 100 pessoas na Nigéria

Uma epidemia de cólera matou quase 100 pessoas nas últimas duas semanas no nordeste da Nigéria, uma região devastada pelas ações do grupo extremista Boko Haram, informou este sábado a ONU.

Trabalhadores do McDonald's fizeram greve nos EUA contra o assédio sexual

Trabalhadores do McDonald's realizaram, na terça-feira, em dez cidades norte-americanas, uma greve laboral contra o assédio sexual na empresa, em consonância com o movimento #MeToo.

Chuvas na Nigéria provocam 100 mortos, autoridades estimam que número aumente

As autoridades nigerianas afirmaram que 100 pessoas morreram devido às inundações provocadas pelas chuvas fortes que se fizeram sentir no país nos últimos dias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.