Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Parte dos manifestantes de forças de segurança saiem do Ministério das Finanças para a AR

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 out (Lusa) - Uma parte dos manifestantes de forças de segurança que hoje estão concentrados junto do Ministério das Finanças, em Lisboa, começou a retirar-se do local cerca das 20:15 e a dirigir-se para a Assembleia da República.

Uma parte do forte dispositivo policial instalado na praça do Comércio, junto do Ministério das Finanças, bem como da Justiça e Administração interna, acompanhava os manifestantes no percurso até ao parlamento.

Na praça do Comércio permaneciam centenas de participantes na manifestação e também do dispositivo de segurança, que incluía membros do Corpo de Intervenção e veículos da Unidade Especial de Polícia.

Até àquela hora, os manifestantes ainda não tinham sido atendidos na exigência de serem recebidos pelo ministro das Finanças, a quem pretendem entregar uma carta reivindicativa de descongelamento das carreiras.

O protesto conta também com a participação de outros sindicatos da PSP e da GNR que não fazem parte da CCP.

A manifestação iniciou-se cerca das 18:30 no Marquês de Pombal e inclui elementos da PSP, GNR, SEF, ASAE, Polícia Marítima e guarda prisional.

FP/CMP/HB // ARA

Lusa/Fim

+ notícias: País

Jovem de 16 anos morre em acidente na cidade de Tondela

Um jovem de 16 anos morreu hoje na sequência de uma colisão entre um motociclo e um veículo ligeiro, numa avenida da cidade de Tondela, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu.

Dez distritos do continente sob aviso amarelo devido à agitação marítima

Dez distritos de Portugal continental estão hoje e sexta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima, encontrando-se seis barras marítimas fechadas à navegação, segundo o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA) e a Marinha.

Trabalhadores da Raríssimas alertam para risco de fecho por falta de dinheiro

Os trabalhadores da "Raríssimas" avisaram hoje que a associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelaram ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o funcionamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS