Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Roubo por esticão faz aumentar criminalidade violenta no Porto em 2017

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 12 out (Lusa) -- A criminalidade violenta no Porto aumentou nos primeiros nove meses deste ano, com mais 17 crimes violentos face ao mesmo período de 2016, informou hoje fonte oficial do Comando Territorial do Porto da GNR.

"Ao nível da criminalidade violenta, registou-se um acréscimo global de 17 crimes" entre 01 de janeiro e 30 de setembro de 2017, em comparação com igual período de 2016, declarou hoje o comandante do Comando Territorial do Porto da GNR, coronel de infantaria Victor Mesquita Fernandes, durante o discurso que realizou no Quartel do Carmo (Porto), no âmbito do 9.º aniversário daquela unidade, onde foram condecorados militares e civis.

O aumento da criminalidade violenta na área da GNR do Porto nos primeiros nove meses do ano explica-se com o aumento do crime de "roubo por esticão", com mais 34 ocorrências daquela tipologia em relação a 2016, explicou à Lusa, por seu turno, Silva Ferreira, relações públicas no Comando Territorial do Porto da GNR.

Entre 01 de janeiro e 30 de setembro de 2016, e igual período de 2017, constata-se, por outro lado, "uma redução global da criminalidade geral na ordem de 2,4%, o que equivale a uma diminuição de 385 crimes registados", destacou Mesquita Fernandes, durante a sua intervenção na cerimónia.

"Esta tendência, sustentada e controlada, é suportada em grande parte pelo esforço e dedicado trabalho de prevenção e investigação criminal desenvolvido em permanência pelos militares da unidade que têm essas responsabilidades", referiu.

Durante a sua intervenção, Mesquita Fernandes lamentou o aumento de registo de mortos nas estradas da competência daquela unidade e anunciou um aumento da fiscalização rodoviária.

"Face à elevada sinistralidade rodoviária que ainda se regista nas estradas portuguesas, ao qual o nosso distrito não passa incólume, é intenção deste Comando aumentar ainda mais o esforço de fiscalização rodoviária, em linha com as orientações do Comando da Guarda".

Na vertente da fiscalização e sinistralidade rodoviária, a unidade da GNR do Porto lançou 74.500 patrulhas rodoviárias nas 13 autoestradas, 20 estradas nacionais e restantes vias da sua responsabilidade e fiscalizou 85 mil condutores, detendo "1.900 condutores com excesso de álcool no sangue no exercício da condução" e "13.300 condutores em excesso de velocidade".

Em termos globais, por infração à legislação rodoviária, foram registadas 66.400 contraordenações e 1.600 crimes, concluiu Mesquita Fernandes.

Ao longo do último ano, o Comando territorial do Porto da GNR na atividade de prevenção geral realizou 98 mil ações de patrulhamento, nos programas especiais realizou 1.500 ações dirigidas aos idosos, 1.400 dirigidas à população escolar e 500 ao comércio seguro.

Na vertente da proteção da natureza e do ambiente realizou 3.700 ações de patrulhamento.

A unidade do Comando Territorial do Porto da GNR informou ainda que foi aquela que mais denúncias registou na linha de SOS Ambiente e Território que estavam relacionadas com incêndios.

CCM // LIL

Lusa/fim

+ notícias: Norte

ASPP denuncia "insuficiências inadmissíveis" no Comando Metropolitano da PSP do Porto

A Associação Sindical de Profissionais da Polícia (ASPP) denuncia "insuficiências inadmissíveis" no Comando Metropolitano do Porto da Polícia de Segurança Pública (PSP). O diretor nacional da PSP diz que apesar das dificuldades os profissionais não deixam de cumprir as funções e de preservar a segurança dos cidadãos.

Câmara de Famalicão exige que Governo pague municipalização de estradas nacionais

A Câmara de Famalicão recorreu à justiça para exigir que o Estado pague o valor da contrapartida acordada pela municipalização de estradas nacionais. A autarquia pede em tribunal mais de dois milhões e meio de euros. A infraestrutturas de Portugal diz que aguarda a decisão judicial.

Homem de 61 anos morre atropelado por máquina em Penafiel

Um trabalhador de um pedreira em Marecos, Penafiel, morreu num acidente de trabalho no interior da empresa. O homem de 61 anos foi atropelado por uma máquina.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.