Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Operação Marquês: Costa invoca separação entre justiça e política para "não comentar"

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 out (Lusa) - O primeiro-ministro recusou-se hoje a comentar a acusação de 31 crimes imputada ao antigo líder socialista José Sócrates, invocando separação entre justiça e política e observando que cabe agora à defesa apresentar a sua versão da verdade.

António Costa respondia a uma questão sobre a Operação Marquês, após ter estado reunido com o coordenador da Comissão Técnica Independente, João Guerreiro.

Confrontado com o facto de o ex-primeiro-ministro José Sócrates ter sido acusado de 31 crimes, no âmbito da Operação Marquês, António Costa afirmou: "Como tenho dito, à justiça o que é da justiça e à política o que é da política".

"Houve uma fase do processo que está concluída, a fase de inquérito. Agora cabe à defesa falar, apresentar a sua versão da verdade, requerer ou não instrução, seguir ou não para julgamento", disse.

O primeiro-ministro apenas acrescentou depois que o processo seguirá os seus termos.

"E eu continuarei sem comentar, como é próprio de um primeiro-ministro, que não deve comentar o que vai acontecendo nos diferentes domínios judiciais", vincou António Costa.

PMF // JPS

Lusa/fim

+ notícias: Política

Autarca de Vila Real quer ir até Bruxelas denunciar aplicação dos fundos comunitários

O presidente da Câmara de Vila Real apelou hoje à união dos autarcas do Douro para denunciaram em Bruxelas a aplicação do quadro comunitário, porque disse ser "dolorosamente evidente" que vai agravar a divergência entre os territórios nacionais.

Miguel Cadilhe pede "coragem política" para mudar o interior

O antigo Ministro das Finanças, Miguel Cadilhe, pede "coragem política" para mudar o interior. O apelo surge no dia em que foi apresentado como coordenador do Movimento pelo interior.

Centeno diz ser altura de "recolher benefícios" de esforços

O ministro das Finanças e recém-eleito presidente do Eurogrupo, Mário Centeno, afirmou ser altura de "recolher benefícios" dos esforços realizados em anos de crise económica e de concluir a união bancária.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS