Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Mota-Engil coloca cerca de 88 ME no mercado mexicano de obrigações à taxa de 1,965%

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 out (Lusa) -- A Mota-Engil anunciou hoje que realizou com sucesso a primeira colocação no mercado mexicano de obrigações no valor total de 1,95 mil milhões de pesos mexicanos (cerca de 88 milhões de euros) a uma taxa de 1,965%.

De acordo com a informação a que a agência Lusa teve acesso, a operação de securitização, que não envolve a banca comercial, está associada à PPP (parceria público-privada) Coatzacoalcos-Villahermosa e tem uma maturidade de 9,2 anos e uma taxa fixa com 'spread' (implícito à data de hoje) de 1,965% sobre obrigações de dívida pública mexicana com a mesma maturidade.

Esta PPP corresponde a um contrato plurianual de prestação de serviços que inclui duas componentes: uma relacionada com a reabilitação de 134,2 km de estrada e outra referente à manutenção da mesma via, num valor de 4574 milhões de pesos mexicanos (206 milhões de euros).

A emissão de novos títulos, com cotação na Bolsa Mexicana, está suportada num rating AAA por três agências.

De entre os investidores destacam-se Fundos de Pensões e Seguradoras, "numa demonstração da confiança na primeira operação de securitização associada a um contrato, incluindo construção, ao abrigo do novo regime legal mexicano de PPP".

ICO// ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Famílias numerosas dizem-se discriminadas no custo da água que consomem

As famílias numerosas dizem-se discriminadas no custo da água que consomem. Nos concelhos mais desiguais, sem tarifários familiares, o preço pode variar até 12 euros por pessoa. No Porto nem metade dos municípios têm este tipo de tarifário.

Parecer científico recomenda a suspensão da pesca da sardinha em 2018

A pesca da sardinha deverá ser proibida em 2018 em Portugal e Espanha, face à redução acentuada do 'stock' na última década, refere o parecer do Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES) hoje divulgado.

Adelino Costa Matos diz que é "gritante" a falta de mão-de-obra qualificada a nível nacional

O Presidente da ANJE diz que em Portugal não existem jovens para trabalhar com formação profissional. Adelino Costa Matos afirma mesmo que a falta de mão-de-obra é "gritante".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Consultório

Como prevenir a gripe - medicamentos e...

Nota Alta

Mazgani - "The Faintest Light"