Info

Euribor mantêm-se a 3, 6 e 12 meses e caem a nove meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 12 out (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e 12 meses e desceram a nove meses em relação a quarta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, manteve-se hoje pela sétima sessão consecutiva em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, também se manteve, ao ser fixada em -0,274%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,275%, verificado pela primeira vez em 08 de setembro.

A nove meses, a Euribor foi hoje fixada de novo em -0,222%, menos 0,001 pontos e atual mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 9 de outubro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, foi hoje fixada de novo em -0,181%, o atual mínimo de sempre registado pela primeira vez em 10 de outubro.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Banco de Portugal piora projeções de crescimento e espera que PIB avance 2,1% em 2018

O Banco de Portugal (BdP) piorou hoje as projeções de crescimento de Portugal, esperando que o PIB aumente 2,1% este ano e 1,8% no próximo, desacelerando progressivamente o ritmo de crescimento até aos 1,6% em 2021.

Portugal teve saldo migratório positivo em 2017 pela primeira vez em sete anos

Portugal teve um saldo migratório positivo em 2017, pela primeira vez em sete anos, com mais de 36 mil imigrantes a ultrapassarem as quase 32 mil pessoas que deixaram o país, revelou hoje o Observatório das Migrações.

Preço da luz desce 3,5% em mercado regulado em 2019 para as famílias

As tarifas de eletricidade no mercado regulado vão descer 3,5% para os consumidores domésticos a partir de 01 de janeiro, anunciou hoje a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.