Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Taxas Euribor mantêm-se a 3, 6 e 9 meses e batem mínimos a 12 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 14 set (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje inalteradas nos prazos a três, seis e nove meses, enquanto a 12 meses bateram um novo mínimo histórico.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, manteve-se hoje face a quarta-feira nos -0,329%, o que compara com o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A seis meses, a taxa Euribor, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, fixou-se também no valor da sessão anterior, de -0,272%.

O mínimo de sempre neste prazo foi verificado em 08 de setembro, de -0,275%.

A nove meses, a Euribor tem hoje o mesmo valor de quarta-feira, de -0,219%, quando atingiu um mínimo histórico.

Já no prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, atingiu hoje um novo mínimo de sempre, ao fixar-se nos -0,171%.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro de 2015, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero em 07 de janeiro de 2016, nos quais se tem mantido desde então.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

IM // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Francisco Louçã antevê uma nova crise financeira como em 2007

10 anos depois da crise, os desiquilíbros financeiros mantêm-se e o risco de uma nova crise é cada vez mais real. As palavras sao de Francisco Louçã, no livro "Sombras". Na obra, agora lançada, o economista aborda o poder da 'finança-sombra' e os riscos que esta impõe à economia global.

CIP indisponível para aumentar salário mínimo para 600 euros

O presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva, afirmou hoje, em entrevista conjunta à Antena1 e ao Jornal de Negócios, que não há disponibilidade para aceitar a proposta de 600 euros de salário mínimo para 2018.

Trabalhadores e Autoeuropa chegam a pré-acordo sobre horários de trabalho

Palmela, Setúbal, 20 nov (Lusa) - A Comissão de Trabalhadores e a administração da Autoeuropa chegaram hoje a um pré-acordo sobre os horários de trabalho, que deverá ser sufragado pelos trabalhadores durante a próxima semana, disse hoje à agência Lusa fonte das negociações.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS