Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Câmara de Proença-a-Nova contabiliza 4,2 ME de prejuízos nos incêndios

| País
Porto Canal com Lusa

Proença-a-Nova, Castelo Branco, 13 set (Lusa) - Os prejuízos causados pelo incêndio de 23 de julho, no concelho de Proença-a-Nova, ascendem aos 4,2 milhões de euros, disse hoje à agência Lusa, o presidente do município local.

"Neste momento, a estimativa dos serviços municipais sobre os prejuízos causados pelo incêndio de 23 de julho, no concelho de Proença-a-Nova, atinge um total de 4,2 milhões de euros", explica o presidente deste município do distrito de Castelo Branco, João Lobo.

Do total calculado, 1,5 milhões de euros dizem respeito a infraestruturas, 65 mil euros a edificações, 1,5 milhões na vertente agrícola e 1,2 milhões de euros a recursos hídricos.

João Lobo adianta que nesta estimativa não estão incluídos os 80 hectares ardidos no Malhadal no dia 26 de julho, nem os hectares ardidos no último fim de semana.

"Estes ainda estão a ser contabilizados, sendo que afetaram duas áreas do concelho: as aldeias de Maljoga, Vergão e Rafael (resultante do incêndio de 09 de setembro na Sertã) e a aldeia de Chão do Galego (ignição iniciada nesta localidade na noite de 09 de setembro)", explica.

Os técnicos da autarquia visitaram todas as aldeias atingidas para levantamento de prejuízos e apoio no preenchimento de candidaturas a medidas de apoio de cariz excecional que possam vir a ser implementadas a nível central para perdas no setor agrícola e pecuário.

"Será dado apoio na reconstrução de coberturas no caso de edifícios que arderam", frisou.

João Lobo sublinhou ainda que o concelho de Proença-a-Nova vai também estar abrangidos pelo Fundo de Emergência Municipal, que o Governo, em Conselho de Ministros, alargou a mais 20 municípios, e adiantou que já reuniu com o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) e com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA).

"Foi feito pelo ICNF o mapeamento dos danos e com a APA já reunimos por causa do problema das chuvas para o domínio hídrico. O mapeamento destes está quase finalizado", explicou.

CAYC // SSS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Nove em cada 10 vítimas de violência doméstica não recorre a apoios

Nove em cada dez vítimas de violência doméstica não pedem ajuda ao sistema público de apoio, por desconhecimento, isolamento ou dificuldades no acesso aos serviços, disse à Lusa Elisabete Brasil, da União de Mulheres Alternativas e Resposta (UMAR).

Poluição aumenta devido à seca extrema

As emissões poluentes e os custos da produção de eletricidade dispararam por causa da seca. A associação ambientalista zero está preocupada com as emissões de Dióxido de Carbono e considera que o país deve apostar em energias renováveis.

Seca extrema pode fazer aumentar preços na agricultura

A seca extrema que se verifica no país tem afetado a agricultura e vai provocar um aumento no preço dos produtos. O alerta é do presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, que disse ainda haver neste momento uma grande apreensão nos empresários do setor.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS