Jornal Diário Jornal das 13

Taxas Euribor sobem a 3 meses, mantêm-se a 6 e 12 e caem para novo mínimo a 9 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 set (Lusa) -- As taxas Euribor subiram hoje a três meses, mantiveram-se a seis e 12 meses e desceram para novos mínimos de sempre a nove meses em relação a terça-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, subiu hoje para -0,329%, mais 0,001 pontos do que na terça-feira e contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A seis meses, a taxa Euribor, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, manteve-se em -0,272%, contra o atual mínimo de sempre, de 0,275%, verificado em 8 de setembro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, foi fixada de novo em -0,169%, atual novo mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 12 de setembro.

A nove meses, a Euribor desceu para um novo mínimo de sempre, ao ser fixada em -0,219%, menos 0,001 pontos do que na terça-feira.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro de 2015, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero em 07 de janeiro de 2016, nos quais se tem mantido desde então.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Portugal é dos países que mais recebe de Bruxelas com quase 5 mil ME de fundos em 3 anos

Portugal recebeu, nos últimos três anos, quase cinco mil milhões de euros da Comissão Europeia, ocupando o terceiro lugar entre os Estados-membros que mais fundos comunitários receberam, segundo dados divulgados por Bruxelas.

EasyJet vai contestar indemnizações por falta de combustível em Lisboa

A companhia aérea easyJet afirmou hoje que vai contestar as indemnizações que foi obrigada a pagar devido às perturbações pela falha no abastecimento de combustível no aeroporto de Lisboa, tentando "recuperar esses valores" junto das petrolíferas.

Ryanair prevê cancelar até 300 voos diários devido a greve na próxima semana

A companhia aérea Ryanair indicou hoje que prevê cancelar até 300 voos diários na próxima quarta e quinta-feira (dias 25 e 26) devido a perturbações provocadas pela greve de tripulantes de cabine em Portugal, Espanha e Bélgica.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.