Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Taxas Euribor sobem a 3 meses, mantêm-se a 6 e 12 e caem para novo mínimo a 9 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 13 set (Lusa) -- As taxas Euribor subiram hoje a três meses, mantiveram-se a seis e 12 meses e desceram para novos mínimos de sempre a nove meses em relação a terça-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, subiu hoje para -0,329%, mais 0,001 pontos do que na terça-feira e contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A seis meses, a taxa Euribor, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, manteve-se em -0,272%, contra o atual mínimo de sempre, de 0,275%, verificado em 8 de setembro.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, foi fixada de novo em -0,169%, atual novo mínimo de sempre, registado pela primeira vez em 12 de setembro.

A nove meses, a Euribor desceu para um novo mínimo de sempre, ao ser fixada em -0,219%, menos 0,001 pontos do que na terça-feira.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro de 2015, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero em 07 de janeiro de 2016, nos quais se tem mantido desde então.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // MSF

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Presidente da República espera défice de 1,5% para este ano

O Presidente da República disse esta sexta-feira que Portugal vai poder cumprir o défice de 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) estabelecido como meta pelo Governo para 2017, congratulando-se com as "boas notícias" para a economia agora divulgadas.

Atualizado 23-09-2017 12:19

Calçado "sem género" português foi à conquista de Milão

A Associação Portuguesa dos Industriais do Calçado acompanhou até Milão 96 empresas portuguesas. O Porto Canal descobriu empresas que seguiram a moda do sapato "sem género", um produto que tanto dá para homens como para mulheres. O mercado da moda agénero tem ganho espaço em todo o mundo e Portugal não fica atrás nas tendências.

Défice desce para 1,9% do PIB no primeiro semestre

O défice orçamental foi de 1,9% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro semestre deste ano, uma diminuição face aos 3,1% registados no período homólogo, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...