Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Presidente da Câmara de Ourém diz-se alvo de "estratégia armadilhada" para evitar a sua recandidatura

| Política
Porto Canal com Lusa

Ourém, Santarém, 12 set (Lusa) - O socialista Paulo Fonseca disse hoje que foi alvo de uma "estratégia organizada e armadilhada" que conduziu à sua inelegibilidade ao município de Ourém, no distrito de Santarém, por decisão do Tribunal Constitucional (TC).

Paulo Fonseca, que liderou o concelho nos últimos oito anos, está impedido de se recandidatar às eleições autárquicas de 01 de outubro por estar envolvido num processo de insolvência.

Hoje à noite, em conferência de imprensa, o ainda presidente da Câmara de Ourém disse que a justiça se encontra num "sistema moribundo e impediu um cidadão de ser submetido à escolha livre dos cidadãos".

Manifestando-se de "mãos limpas e consciência tranquila", Paulo Fonseca salientou que foi declarado insolvente por, até 2008, ter sido sócio de uma empresa que faliu e da qual nunca foi gerente.

"Eu, que nunca fui gerente, fui declarado insolvente, e o outro sócio, apesar de ser o gerente, nunca foi colocado como insolvente", explicou o autarca, considerando que "isto já dá para tirar uma conclusão evidente".

"Como é que quem tem a responsabilidade de gerir um processo não tem qualquer penalização, o seu processo é arquivado, e em relação a mim sou considerado insolvente", acrescentou.

Aos jornalistas, Paulo Fonseca afirmou que desde 2008 até hoje nunca foi chamado a tribunal para se pronunciar sobre a sua situação.

"Esta é uma segunda conclusão que me parece absolutamente evidente", sublinhou.

Por outro lado, adiantou que a 04 de agosto solicitou uma assembleia de credores ao Tribunal de Santarém, que se tivesse sido marcada "as listas [de candidatos] estariam regulares e o meu nome seria aceite".

O ainda presidente da Câmara de Ourém disse que passou "oito anos [de governação autárquica] de grande sufoco, numa estratégia devidamente montada, organizada e armadilhada".

Segundo Paulo Fonseca, ao longo do processo aconteceram peripécias de todo o tipo, uma delas 17 dias antes das últimas eleições autárquicas, com a realização de buscas da Polícia Judiciária ao município.

"Valeu tudo, menos tirar olhos", enfatizou.

O TC indeferiu segunda-feira o recurso apresentado pelo Partido Socialista confirmando a inelegibilidade do seu candidato à presidência da Câmara de Ourém, por este se encontrar em processo de insolvência.

No seu acórdão, o Tribunal Constitucional (TC) nega provimento ao recurso interposto pelo PS à decisão tomada pelo Tribunal Judicial da Comarca de Santarém - Juízo Local Cível de Ourém em 17 de agosto último e confirmada pelo mesmo tribunal a 24 de agosto, data em que foi rejeitada a reclamação à primeira decisão.

O TC confirma igualmente a decisão de que o lugar de Paulo Fonseca passe a ser ocupado pela número dois da lista, a psicóloga clínica Cília Maria de Jesus Seixo, 55 anos, professora de Filosofia e Psicologia em Fátima, "sendo a lista reajustada pela ordem de precedência dos sucessivos candidatos dela constantes".

No seu recurso, o PS reiterava o facto de o processo de insolvência de Paulo Fonseca não estar concluído e invocava a alegada violação dos princípios constitucionais da proporcionalidade, por se transpor a incapacidade de gestão de património pessoal para a gestão do património público, apontando "a forma como o mesmo geriu o município no mandato cessante", e da igualdade, por a inelegibilidade dos insolventes compreender apenas a eleição para órgãos autárquicos.

AMV (MLL)// ATR

Lusa/fim

+ notícias: Política

Presidente da República promulga "Programa de Apoio ao Acesso à habitação"

O Presidente da República promulgou esta terça-feira o diploma do Governo que estabelece o "1.º Direito -- Programa de Apoio ao Acesso à Habitação", expressando a expectativa de que esta legislação não irá sobrecarregar as autarquias locais.

Oposição da Câmara do Porto quer revisão do regulamento do 'Porto de Tradição'

A classificação de estabelecimentos do Porto como lojas históricas esteve em discussão na reunião da Câmara Municipal do Porto. A oposição quer a revisão do regulamento do 'Porto de Tradição', iniciativa que avalia o interesse histórico das lojas.

Secretário de Estado da Educação fala sobre os desafios do ensino profissional em Vizela

Os desafios do ensino profissional estiveram em debate, em Vizela, num encontrou que contou com a presença do Secretário de Estado da Educação.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.