Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Óbito/Bispo do Porto: Marcelo lamenta perda de "um homem bom, de uma integridade plena"

| Norte
Porto Canal com Lusa

Parede, Lisboa, 11 set (Lusa) - O Presidente da República lamentou hoje a morte do bispo do Porto, António Francisco dos Santos, considerando que deixa "a memória de um homem bom, de uma integridade plena, em comunhão de vida com os valores cristãos".

Marcelo Rebelo de Sousa reagiu à notícia da morte do bispo do Porto durante uma visita à Associação Escola 31 de Janeiro, na Parede, no concelho de Cascais, colocando uma gravata preta em sinal de luto.

"Eu queria dizer uma palavra muito curta, mas muito sentida, pelo desaparecimento de um querido amigo, mas, sobretudo, de um querido amigo do Porto, uma grande figura da Igreja Católica Portuguesa", declarou aos jornalistas.

O chefe de Estado recordou António Francisco dos Santos como "um homem aberto à justiça social, aberto à liberdade, à fraternidade, à solidariedade, e que deixou um traço muito marcante na diocese do Porto, como já tinha deixado anteriormente na passagem por outras dioceses", e prestou-lhe uma "homenagem pessoal e a homenagem também de todo o país".

Numa nota divulgada entretanto no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa lembra a sua passagem pela diocese de Aveiro e pela arquidiocese de Braga, e considera que "deixou a memória de um homem bom, de uma integridade plena, em comunhão de vida com os valores cristãos".

O Presidente da República descreve António Francisco dos Santos como "homem de Igreja", que se notabilizou "pela sua carreira eclesiástica e por uma ação pastoral de muitas décadas".

"Não por acaso, na Conferência Episcopal Portuguesa, D. António Francisco dos Santos ocupava atualmente os cargos de presidente da Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana e de vogal da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé", refere.

Nesta nota, Marcelo Rebelo de Sousa expressa condolências "à família enlutada e, bem assim, a toda a Igreja portuguesa", dirigindo-se em particular "a todos os fiéis da diocese do Porto, às gentes dessa cidade de trabalho e de fé".

Natural da freguesia de Tendais, concelho de Cinfães, diocese de Lamego, António Francisco dos Santos morreu pelas 09:30 de hoje, aos 68 anos, vítima de ataque cardíaco.

A ordenação episcopal de António Francisco dos Santos ocorreu em março de 2005, na Sé de Lamego, tendo o prelado também sido vigário-geral desta diocese durante um longo período de tempo.

Foi também membro da equipa formadora do Seminário Maior de Lamego, com as funções de professor, secretário, ecónomo e vice-reitor, chefe de redação do jornal Voz de Lamego, membro da equipa sacerdotal da Paróquia de Santa Maria Maior de Almacave, vice-presidente da Associação de Ajuda Mútua do Clero de Lamego e elemento da direção da Associação dos Antigos Alunos de Lamego, acrescenta.

Nascido em 29 de agosto de 1948, António Francisco dos Santos era bispo de Aveiro quando, em fevereiro de 2014, foi nomeado bispo do Porto pelo papa Francisco.

Foi nomeado bispo auxiliar de Braga em dezembro de 2004 e, dois anos depois, foi indicado para bispo de Aveiro.

IEL (AMF) // ZO

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Autarca de Miranda do Douro alerta para a fraca qualidade da água devido à seca

Em Portugal ainda há água suficiente nas barragens, mas o caudal mínimo do rio Douro não está a ser cumprido porque a nascente espanhola já secou. O alerta é dado pelo autarca de Miranda do Douro. Artur Nunes denunciou a fraca qualidade da água e os graves problemas ambientais.

Despiste de camião provoca o caos na VCI junto ao Freixo

Um despiste de um camião está a provocar o caos no trânsito na VCI no Porto, sentido Freixo-Arrábida, ao fina da tarde desta quinta-feira, estando todas as vias cortadas para limpeza do pavimento visto que o depósito do camião começou a derramar para a estrada, dise ao Porto Canal fonte dos Bombeiros Sapadores do Porto.

Resíduos tóxicos de Cachão podem ter fim à vista

Há uma nova esperança para o Complexo Agro Industrial do Cachāo. A empresa gestora do espço que pertence às Câmaras de Vila Flor e Mirandela vai agora formalizar uma candidatura ao Fundo Ambiental que espera ver aprovada ainda este ano. Em causa está a urgente retirada de várias toneladas de resíduos tóxicos resultantes de dois incêndios e que têm levado à revolta da população local.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS