Info

Castelo Branco ativa Plano de Emergência Municipal

| País
Porto Canal com Lusa

Castelo Branco, 15 ago (Lusa) - A Câmara de Castelo Branco decidiu hoje ativar o Plano de Emergência Municipal, devido ao fogo que progride no concelho, o mesmo que afeta o Fundão, disse à agência Lusa o presidente da autarquia.

O Plano de Emergência Municipal foi ativado hoje às 22:30, face à "gravidade da catástrofe", importando "agilizar a resposta" às populações afetadas, explanou o presidente da Câmara, Luís Correia.

Segundo o autarca, o incêndio que lavra no concelho do Fundão e em Castelo Branco entrou hoje "com muita força" na localidade do Louriçal do Campo, onde o fogo tinha deflagrado, no domingo.

"Foram três dias muito difíceis, mas hoje foi, na verdade, o mais difícil", frisa Luís Correia, contando que casas devolutas arderam e "puseram em perigo e afetaram ligeiramente casas vizinhas".

Contabilizam-se também quintais ardidos e propriedades agrícolas, fundamentais para uma população que tem na agricultura um meio de subsistência.

O fogo, aclara, começou no domingo "perto do Louriçal do Campo e foi para São Vicente da Beira, uma freguesia vizinha, passou por um lado da aldeia de Casal da Serra e regressou em direção ao Louriçal, onde entrou com muita força e com uma velocidade muito grande".

Os aceiros feitos durante a noite à volta da aldeia não foram suficientes para travar o fogo, notou.

Na segunda-feira, também a Câmara do Fundão decidiu ativar o seu plano de emergência.

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, chegou hoje, por volta das 22:00, ao posto de comando do Fundão, instalado junto ao seminário.

De acordo com a página da Proteção Civil, o incêndio que afeta Castelo Branco e Fundão mobilizava, às 23:25, 566 operacionais e 167 veículos.

JYGA // MLS

Lusa/Fim

+ notícias: País

Federação afirma que enfermeiros "têm estado a ser humilhados" pelo Governo

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Enfermeiros (FENSE) e o Ministério da Saúde não chegaram a acordo na última reunião que realizaram. A Federação defende que os enfermeiros "têm estado a ser humilhados" pelo Governo.

Polícia Judiciária faz buscas no MAI e na Proteção Civil por causa do caso das golas anti-fumo

A Polícia Judiciária está quarta-feira a fazer buscas nas instalações do Ministério da Administração Interna (MAI) e na Autoridade Nacional da Proteção Civil, alegadamente por causa do caso das golas antifumo.

Associações de doentes alertam para "realidade assustadora" de falta de medicamentos

Setenta associações de doentes enviaram uma carta ao Infarmed a alertar para a "realidade assustadora" de doentes cujo estado de saúde se tem "agravado" devido à falta de medicamentos nas farmácias e à não aprovação de fármacos inovadores.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.