Info

Fogo no Fundão obriga ao corte da linha da Beira Baixa

| País
Porto Canal com Lusa

Fundão, Castelo Branco, 15 ago (Lusa) - O incêndio que progride no concelho do Fundão obrigou hoje à tarde à suspensão da ligação ferroviária da Beira Baixa, entre Castelo Branco e a Covilhã, disse à agência Lusa fonte da Infraestruturas de Portugal (IP).

De acordo com a IP, o corte da linha da Beira Baixa foi feito às 16:25, "por pedido do CDOS [Comando Distrital de Operações de Socorro] de Castelo Branco".

Contactada pela agência Lusa, a CP referiu que um comboio que ia em direção à Covilhã ficou parado em Castelo Branco face ao corte da linha. O mesmo comboio faria depois a viagem de regresso a partir da Covilhã.

O transbordo ainda não está assegurado, sendo que "a situação está em avaliação", afirmou fonte da CP.

Também a nacional número 18 (N18) e a autoestrada número 23 (A23), entre Castelo Novo e Alcaide, estão cortadas ao trânsito nos dois sentidos devido às chamas que afetam o concelho do Fundão, distrito de Castelo Branco.

Segundo a página da Proteção Civil, às 19:10, estavam 415 operacionais, 121 veículos e dez meios aéreos a combater o fogo.

JYGA // EL

Lusa/Fim

+ notícias: País

Nascimentos em Portugal atingiram no primeiro trimestre valor mais alto em sete anos

O número de nascimentos em Portugal atingiu o valor mais elevado dos últimos sete anos no primeiro trimestre de 2019, período em que foram rastreados 21.348 recém-nascidos, de acordo com o número de "testes do pezinho" realizados.

25 de abril: a história da revolução vivida na cidade do Porto

Neste 25 de abril contamos-lhe a historia de como foi a revolução no Porto. Foi a partir do quartel, onde hoje são as consultas externas do hospital de são António, que saíram os capitães de abril para tomar o quartel general do regime. Vieram as forças especiais de Lamego, caso fosse necessária uma intervenção mais musculada, mas tudo decorreu de forma pacífica.

25 de abril: a história de José Carlos Almeida, o "preso sem nome"

O 25 de abril significou também a libertação dos presos políticos. Contamos a história do último homem a ser preso pelo regime dias antes da revolução. É a primeira vez o que José Carlos Almeida, conhecido como o "preso sem nome", grava uma entrevista para a televisão.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.