Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Governo aprova prestação de 264 euros para pessoas com deficiência igual ou superior a 80%

| Política
Porto Canal com Lusa

NOVO TÍTULO: Lisboa, 10 ago (Lusa) -- O Governo aprovou hoje a criação da Prestação Social para a Inclusão (PSI), cuja componente base de 264 euros será atribuída a todas as pessoas com deficiência ou incapacidade igual ou superior a 80%.

"A componente base entrará em vigor já em 2017, é uma componente que tem uma dimensão de cidadania, é atribuída incondicionalmente, sem qualquer espécie de avaliação de outras condições, a quem tenha 80% ou mais de incapacidade comprovada e certificada", explicou o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José Vieira da Silva, na conferência de imprensa realizada no final da reunião do Conselho de Ministros, em Lisboa.

Esta componente base entrará já em vigor e poderá ser requerida a partir de 01 de outubro.(Acrescenta, no título, o valor da prestação, que é de 264 euros)

Além da criação da PSI, o Conselho de Ministros aprovou hoje outros diplomas que visam "a valorização e a maior integração das pessoas com deficiência", nomeadamente o decreto-lei que cria o Modelo de Apoio à Vida Independente e o decreto-lei das Acessibilidades.

Foram igualmente aprovados um diploma sobre o Sistema Braille vigente em Portugal e um decreto-lei que alarga as situações de atribuição do cartão de estacionamento a pessoas com deficiência ou incapacidade.

VAM // PNG

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Morais Sarmento, Elina Fraga e David Justino na comissão política de Rui Rio

David Justino, Elina Fraga, Isabel Meireles, Manuel Castro Almeida, Nuno Morais Sarmento e Salvador Malheiro são os nomes indicados pelo novo líder do PSD, Rui Rio, como vice-presidentes da Comissão Política Nacional.

António Costa pede limpeza das florestas para que 2017 não se repita

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou este sábado, em Caminha, que o trabalho de limpeza das florestas "é essencial" para prevenir os incêndios e pediu a colaboração de todos para Portugal "não voltar a ter um verão como o de 2017".

Passos Coelho diz que "não é fácil bater a geringonça, mas é preciso bater a geringonça"

O presidente cessante do PSD, Passos Coelho, defendeu esta sexta-feira que "não é fácil bater a geringonça, mas é preciso bater a geringonça", num discurso em que elogiou o contributo do CDS-PP, que pode voltar a ser "importante no futuro".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.