Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Área ardida na serra do Alvão, Vila Real, foi de 450 hectares

Área ardida na serra do Alvão, Vila Real, foi de 450 hectares
| Norte
Porto Canal com Lusa

O presidente da Câmara de Vila Real disse hoje que arderam cerca de 450 hectares de floresta e mato na serra do Alvão, onde bombeiros e militares do Exército permanecem em operações de consolidação e rescaldo.

O presidente da Câmara de Vila Real disse hoje que arderam cerca de 450 hectares de floresta e mato na serra do Alvão, onde bombeiros e militares do Exército permanecem em operações de consolidação e rescaldo.

"Este incêndio está circunscrito. Em alguns locais, dominado, noutros em fase de rescaldo"; afirmou Rui Santos aos jornalistas, no posto de comando deste fogo e de onde se pode observar "uma triste paisagem" de serra pintada de negro.

O autarca explicou que o rescaldo é "uma operação complexa" porque, com as altas temperaturas que se fazem sentir na tarde de hoje, "há constantes reacendimentos".

Pelo terreno estão espalhados muitos bombeiros e dois pelotões do Exército, com 44 militares, que contam com a ajuda de muitos populares e também de máquinas de rasto.

"Temos dois meios aéreos ainda a operar que vão largando água e arrefecendo os locais onde se perspetiva que possa haver problemas", frisou.

Rui Santos aproveitou para, mais uma vez, apelar a que "todos estejam com muita atenção durante as próximas horas".

"Porque”, frisou, “não acredito que até ao final do dia possa ser feito o rescaldo a toda esta área e pode haver reacendimentos também durante a noite. Toda a atenção é pouca para minimizar os problemas que possam entretanto surgir".

O presidente fez ainda um apelo "a todos concidadãos para que tenham atenção ao uso de matérias inflamáveis nesta altura do ano, também a alguma maldade que por aí possa surgir".

"Isto, porque a experiência diz-nos que o agosto e setembro são, em Vila Real, meses de muitas ocorrências. Todos somos poucos para minimizar este flagelo", sublinhou.

Rui Santos referiu que o fogo queimou "450 hectares de floresta e mato".

Houve ainda sete feridos ligeiros por queimaduras, escoriações ou inalação de fumo.

Mesmo em férias, o Presidente da República esteve atento à situação em Vila Real e ligou algumas vezes ao autarca para saber da evolução dos acontecimentos, de acordo com Rui Santos.

Para este incêndio estão ainda mobilizados 379 operacionais, apoiados por 106 viaturas e dois meios aéreos.

No distrito de Vila Real, as atenções estão ainda concentradas num outro fogo que está a queimar mato em Beça, concelho de Boticas, e está a ser combatido por 129 operacionais, 37 viaturas e seis meios aéreos.

 

+ notícias: Norte

ONG alerta para a má qualidade da água na praia de Matosinhos

A organização não-governamental ambiental Surf Rider Foundation alerta para a má qualidade da água na praia de Matosinhos. Têm sido várias as denúncias e por isso, desde o ano passado, a organização tem recolhido análises através de fundos próprios duas vezes por mês.

Forte agitação marítima obriga a corte da avenida D. Carlos I na foz do Porto

A câmara do Porto informou esta quarta-feira que a avenida D. Carlos I, na Foz, está cortada devido ao Aviso Laranja emitido pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o qual alerta para a forte agitação marítima.

Amarante: ONG torna vida de uma menina com paralisia cerebral um pouco mais simples

Mariana, tem paralisia cerebral e tem agora uma casa de banho adaptada às necessidades. Isto graças à organização sem fins lucrativos 'Habitat for Humanity Portugal' que entregou duas novas obras, desta vez em Amarante.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.