Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Militares a caminho de Proença-a-Nova para vigiar floresta não ardida

| País
Porto Canal com Lusa

Proença-a-Nova, Castelo Branco, 28 jul (Lusa) - Um grupo de militares com três viaturas está hoje a caminho de Proença-a-Nova para patrulhar a área de floresta não ardida, após um pedido do município, disse hoje o presidente da Câmara.

"Foi solicitado um grupo ao Exército para patrulhar a área de floresta não ardida. A resposta foi afirmativa e espero receber os militares, um grupo com três viaturas, no dia de hoje", disse à Lusa o presidente deste município do distrito de Castelo Branco, João Lobo.

O autarca adiantou que o incêndio que deflagrou na tarde de domingo no concelho da Sertã (distrito de Castelo Branco) e se alastrou a Proença-a-Nova, bem como ao concelho de Mação (distrito de Santarém), está em fase de resolução.

"Hoje já tivemos dois reacendimentos que foram rapidamente tratados. As equipas e grupos mantêm-se no terreno", explicou.

O autarca sublinhou ainda que as equipas do município já estão no terreno a fazer o levantamento dos prejuízos, trabalho que espera ficar concluído ao fim do dia de hoje.

"Depois, na segunda-feira, vamos tratar os dados para solicitar apoios que foram abertos [no caso de Pedrógão Grande] e também pedindo que se estendam a estes territórios. Esta é uma área que precisa de atenção e, olhando para os recursos disponíveis, que ajudem as nossas comunidades", frisou.

João Lobo disse que a Câmara de Proença-a-Nova, "de forma própria", vai fazer um esforço em relação àquilo que é prioritário para as pessoas, para as "ajudar a levantar os braços".

O governante explicou que também já estiveram no terreno técnicos da Segurança Social a percorrer as localidades mais afetadas, para, posteriormente, poderem ser apoiadas.

O concelho de Proença-a-Nova foi atingido esta semana por um grande incêndio que deflagrou no concelho da Sertã e que se alastrou também a Mação (no distrito de Santarém) e Nisa (distrito de Portalegre).

CAYC // ROC

Lusa/fim

+ notícias: País

Várias empresas suspendem apoios após escândalo na Raríssimas

A Raríssimas já está a sofrer penalizações depois do escândalo que envolve a ex-presidente. Há mecenas que estão a cortar nos apoios à instituição. Na delegação centro, pelo menos uma empresa suspendeu o donativo.

Caso Raríssimas deixa portugueses com 'o pé-atrás' sobre futuras doações a IPSS

                                 

Estudantes de Viseu promovem referendo para decidirem futuro da Garraida

A tradição mantém-se viva e a Garraiada de Viseu não vai morrer. A dúvida sobre a manutenção do evento com 16 anos de história surgiu depois da contestação levantada pelo grupo de trabalho dos Direitos dos Animais pelo Bloco de Esquerda. A associação de estudantes da Escola Superior agrária de Viseu decidiu deixar a decisão a cargo dos alunos e promoveu um referendo o futuro da garraiada. Os alunos votaram a favor da manutenção em 2018 haverá Garraiada.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS