Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Despesa das famílias portuguesas desce em cinco anos

Despesa das famílias portuguesas desce em cinco anos
| Economia
Porto Canal com Lusa

As famílias portuguesas gastaram em média menos em 2015 e 2016 do que cinco anos antes, tendo descido o peso das despesas com alimentação e aumentado os custos com a habitação, revela hoje o INE.

Segundo os dados do inquérito às Despesas das Famílias 2015/2016 elaborado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), quase dois terços (60,3%) do total dos gastos destinavam-se a habitação, transporte e alimentação, e tinham um peso maior do que em 2010/2011 quando era de 57%, ou seja, menos 3,3 pontos percentuais.

A concentração das despesas naquelas áreas mantinha o perfil observado nas famílias portuguesas desde o início deste século, "embora com perda da importância relativa das despesas com produtos alimentares e bebidas não alcoólicas", explica.

A despesa total anual média dos agregados familiares foi de 20.363 euros, menos 28 euros do que o valor obtido no início da década, e entre aqueles que tinham crianças dependentes (25.254 euros) era cerca de 44% superior na comparaçao com os agregados sem crianças dependentes (17.494 euros).

Do total de despesas, 31,9% destinava-se a habitação, água, eletricidade, gás e outros combustíveis (6.501 euros), 14,3% a produtos alimentares e bebidas não alcoólicas (2.914 euros) e 14,1% a transportes (2.863 euros), aponta o INE.

+ notícias: Economia

Reformados estrangeiros escolhem cada vez mais Portugal como destino para morar

Há cada vez mais estrangeiros a escolher Portugal para viver durante a reforma. Muito graças aos benefícios fiscais do “Regime de Residentes Não Habituais”, introduzido pelo Governo em 2009. Em apenas um ano a adesão ao regime cresceu 44%. Quem decide reformar-se no Porto, garante que há muitas vantagens em relação a outros pontos do país.

Air France estima que impacto de 11 dias de greve foi de 300 ME

O impacto financeiro de 11 dias de greve na Air France deverá ter sido de cerca de 300 milhões de euros, informou esta terça-feira a transportadora aérea, que vai lançar uma consulta aos trabalhadores sobre a proposta de aumentos salariais.

Portugal mantém 3ª maior dívida pública europeia no 4º trimestre de 2017 apesar do recuo

A dívida pública recuou na zona euro (86,7%) e na União Europeia (UE 81,6%) no quatro trimestre de 2017, com Portugal a manter a terceira maior (125,7%), apesar da forte diminuição homóloga e trimestral, segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.