Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Estação móvel de comunicações a caminho de Alijó por falhas no SIRESP

| Norte
Porto Canal com Lusa

Uma estação móvel de comunicações está a caminho de Alijó, distrito de Vila Real, para resolver "falhas pontuais que têm sido sentidas" hoje na rede de comunicações de emergência SIRESP, disse à Lusa a adjunta nacional da Proteção Civil.

Patrícia Gaspar disse à agência Lusa que "as comunicações durante estas falhas foram asseguradas através da Rede Operacional dos Bombeiros (ROB)", um procedimento previsto.

"Quando se estabelece um plano de comunicações num teatro de operações, nunca é feito com exclusividade à rede SIRESP", integrando-se também a ROB, esclareceu.

A estação móvel, que estava estacionada de prevenção no Porto, foi enviada para o combate ao incêndio de Alijó cerca das 18:00 e deverá chegar em breve ao teatro de operações, disse Patrícia Gaspar ao início da noite.

O incêndio na localidade de Vila Chã, concelho de Alijó, começou às 01:55 de hoje e depois de estar dado como dominado reativou-se.

Pelas 20:50 era combatido por 323 bombeiros, apoiados por 97 viaturas e oito meios aéreos.

Crianças e idosos foram retirados da aldeia de Chã, por precaução.

+ notícias: Norte

Vila Nova de Cerveira fecha fontanários públicos para poupar água

A Câmara de Vila Nova de Cerveira encerrou, temporariamente, todos os fontanários públicos existentes no concelho face à situação de seca severa e extrema que o país atravessa, informou hoje aquela autarquia do Alto Minho.

Bactéria e-coli estará na origem de morte de menina da Maia

Foi a bacteria e-coli que provocou a morte da menina de sete anos da escola da Maia. A confirmaçao é da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, que explica tratar-se de uma bactéria contraida a partir de um alimento. Não se sabe se terá sido ou nao na escola, mas certo é que no estabelecimento já há pais a dizer que não voltam a dar comida da cantina aos filhos.

Denúncias revelam más condições do serviço de neurocirurgia do hospital de S. João

A falta de condições no serviço de neurocirurgia do Hospital de São João, no Porto, que há 10 anos funciona em contentores terá levado o diretor do serviço Rui Vaz a apresentar a demissão. Os profissionais falam em condições indignas para utentes que convivem alegadamente lado a lado com baratas, moscas e ratos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS