Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

União Europeia poderá comparticipar até 95% da reconstrução de Pedrógão Grande

União Europeia poderá comparticipar até 95% da reconstrução de Pedrógão Grande
| País
Porto Canal com Lusa

O vice-presidente da Comissão Europeia Jyrki Katainen afirmou esta segunda-feira que a União Europeia poderá comparticipar até 95% das despesas de reconstrução na sequência dos mortíferos incêndios que lavram no centro de Portugal.

À chegada a Lisboa, o vice-presidente para o Emprego, Crescimento, Desenvolvimento e Competitividade afirmou que o incêndio que deflagrou no sábado no concelho de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, e fez até agora 63 mortos e 135 feridos, é uma "tragédia humana comovente" e que os europeus estão solidários com Portugal.

"Se houver necessidade, há o Fundo de Solidariedade Europeu que permite usar fundos estruturais e a União Europeia poderá comparticipar 95% para a reconstrução", afirmou, ressalvando que por agora importa concentrar todos os esforços para apagar os fogos que ainda lavram.

Jyrki Katainen afirmou ainda que o mecanismo europeu de proteção civil "funciona, e bem" e poderá ser usado para coordenar ajudas dos outros estados membros a Portugal para combater os incêndios.

O fogo, que deflagrou às 13:43 de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

O último balanço dá conta de 63 mortos civis e 135 feridos. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

Além de Pedrógão Grande, existem quatro grandes fogos a lavrar nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco, mobilizando um total de cerca de 2.150 operacionais, 654 veículos e 16 meios aéreos.

+ notícias: País

Autarquias portuguesas estão a tomar medidas para prevenir ataques terroristas

Em Portugal, algumas autarquias estão a tomar medidas para prevenir ataques terroristas como aquele que aconteceu em Barcelona. No Porto, só são colocadas barreiras de betão em eventos com grande concentração de pessoas. Já em Vila Nova de Gaia, à beira-rio foram colocadas barreiras na altura do São João mas a autarquia optou por mantê-las.

O que fazer em caso de atentado terrorista?

A PSP lançou um guia para a população seguir em caso de ataque terrorista em Portugal. Fugir, proteger e ligar são os três principais conselhos.

Número de detidos por suspeita de fogo posto quase duplicou face a 2016

As forças de segurança detiveram este ano 102 pessoas suspeitas do crime de incêndio florestal, quase o dobro do número registado (53) em 2016, segundo o comandante da Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...