Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Suspeito de atingir agente da PSP a tiro no Montijo sujeito a apresentações periódicas

| País
Porto Canal com Lusa

Montijo, Setúbal, 19 jun (Lusa) - Um homem de 47 anos, suspeito de ter atingido um agente da PSP na sexta-feira, no Montijo, ficou sujeito a apresentações periódicas, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ).

"O detido, com antecedentes criminais por diversos tipos de crimes, foi sujeito a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhe sido decretada a medida de coação de apresentações periódicas", refere a PJ em comunicado.

O homem foi detido por indícios da prática do crime de homicídio qualificado, na forma tentada, num caso que ocorreu na tarde de sexta-feira, no Bairro do Esteval, no concelho do Montijo, distrito de Setúbal.

"Quando a vítima, elemento das forças de segurança, na sequência do furto do seu motociclo, se deslocou a casa do suspeito, o qual, na sequência de uma troca de palavras entre ambos e já com a vítima no exterior do prédio, veio a efetuar dois disparos de arma caçadeira, um dos quais a atingiu na cabeça, tronco e membros inferiores, obrigando-a a receber assistência hospitalar", acrescenta.

A PJ salienta que o suspeito autor dos disparos procurou esconder a arma utilizada e os cartuchos deflagrados, que foram recuperados pelas autoridades, e que se colocou em fuga, sendo depois detido pela PSP.

AYL // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: País

Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande alerta para falsos dados sobre donativos

A Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Grande alertou hoje para "informações falsas" que estão a circular relativas a donativos monetários e à doação de bens, sugerindo que quem quiser ajudar contacte diretamente a instituição.

Incêndio em Góis está dominado

O fogo que desde sábado lavra em Góis, no distrito de Coimbra, foi dado como dominado hoje às 07:41, informou o comandante operacional, Carlos Tavares.

Carvalho Guerra defende a necessidade de uma melhor educação florestal

O Presidente da Forestis defende a responsabilização dos proprietários que não tratem devidamente dos terrenos ou matas onde possam surgir focos graves de incêndio. Ouvido pelo Porto Canal, Carvalho Guerra sublinha ainda a necessidade de uma melhor educação florestal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS