Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Pedrógão Grande: Agências de viagens passam à Europa mensagem de segurança do destino

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 19 jun (Lusa) - A Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT) pediu às suas congéneres europeias que transmitam aos seus associados que Portugal e, nomeadamente, a região centro, se mantêm como um destino seguro.

Depois de pelo menos 62 pessoas terem morrido na sequência do incêndio de grandes dimensões que deflagrou no concelho de Pedrógão Grande, a APAVT apelou para que as associações europeias "difundam a todas as agências de viagens e operadores turísticos, e através destes aos seus clientes, o facto de Portugal, designadamente os destinos da Região Centro de Portugal, se manterem totalmente operacionais e seguros, apesar dos trágicos incêndios deste fim de semana", refere a associação em comunicado.

A APAVT faz parte da Confederação Europeia das Associações de Agentes de Viagens e Operadores Turísticos (ECTAA), organização na qual ocupa uma das vice-presidências, o que agiliza o processo e a transmissão deste apelo, "que está já a ser difundido por toda a Europa", garantem.

"Decidimos de imediato tomar esta iniciativa, para tranquilizar os nossos colegas europeus, e desta maneira ajudarmos naquilo que está ao nosso alcance", afirma o presidente da APAVT, Pedro Costa Ferreira, no comunicado, acrescentando que, ainda assim, até ao momento, não receberam qualquer registo de cancelamentos.

A APAVT lembra que foi precisamente na região do Centro de Portugal, em Coimbra, que de 31 de maio passado a 02 de junho, teve lugar uma reunião da ECTAA, que juntou os líderes da distribuição turística europeia.

O fogo, que deflagrou na tarde de sábado, em Escalos Fundeiros, concelho de Pedrógão Grande, alastrou depois aos concelhos vizinhos de Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e entrou também no distrito de Castelo Branco, pelo concelho da Sertã.

O último balanço dá conta de 62 mortos civis e 62 feridos, dois deles em estado grave. Entre os operacionais, registam-se dez feridos, quatro em estado grave. Há ainda dezenas de deslocados, estando por calcular o número de casas e viaturas destruídas.

O Governo decretou três dias de luto nacional, até terça-feira.

MSF // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: País

Proteção Civil continua a não contabilizar 65ª vítima de incêndio de Pedrógão Grande por esta não ter sido "consequência direta"

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) sustentou hoje que o incêndio do mês passado em Pedrógão Grande fez 64 vítimas mortais, em "consequência direta" do fogo, e que outros eventuais casos não se integram nos critérios "definidos".

Lista oficial de vítimas mortais de Pedrógão exclui 65º vítima

O semanário Expresso avança que a lista oficial de vítimas dos incêndios de Pedrógão Grande está a excluir Alzira Costa, uma mulher de 71 anos, que residia em Senhora da Piedade, que terá fugido de casa a fugir às chamas que se aproximavam e foi atropelada mortalmente.

Quercus afirma que a discussão da tragédia de Pedrógão está resumida à palavra 'SIRESP'

A Quercus considera que a tragédia de Pedrógão Grande, com os incêndios a provocarem 64 mortos, anda um mês depois à volta da palavra “SIRESP”, sem que ninguém fale das falhas da Proteção Civil ou na prevenção florestal.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS