Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Taxas Euribor mantêm-se a 3, 6 e 9 meses e caem para novo mínimo a 12 meses

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 19 jun (Lusa) -- As taxas Euribor mantiveram-se hoje a três, seis e nove meses em relação a sexta-feira e desceram para um novo mínimo de sempre a 12 meses.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor, que desceu para valores abaixo de zero pela primeira vez em 05 de fevereiro de 2015, desceu hoje para -0,156%, um novo mínimo de sempre e menos 0,002 pontos do que na sexta-feira.

A Euribor a três meses, em valores negativos desde 21 de abril de 2015, manteve-se hoje em -0,329%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,332%, registado pela primeira vez em 10 de abril.

A seis meses, a taxa Euribor, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação e que entrou em terreno negativo pela primeira vez em 06 de novembro de 2015, manteve-se hoje em -0,271%, atual mínimo de sempre verificado pela primeira vez em 14 de junho.

No prazo de nove meses, a Euribor também se manteve, ao ser fixada de novo em -0,201%, contra o atual mínimo de sempre, de -0,203%, registado pela primeira vez em 14 de junho.

Depois de ter sido fixada em valores negativos entre 27 de novembro e 03 de dezembro de 2015, a Euribor a nove meses voltou para níveis abaixo de zero em 07 de janeiro de 2016, nos quais se tem mantido desde então.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

MC // CSJ

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Forte tempestade no norte da Europa provoca caos nos transportes. Todos os voos de Amesterdão cancelados

A forte tempestade que atinge o norte da Europa está a provocar hoje o caos nos transportes, impedindo voos e dificultando a circulação de comboios e automóveis.

Publicada portaria que confirma idade da reforma aos 66 anos e cinco meses em 2019

A idade normal de acesso à reforma vai subir, conforme previsto, um mês em 2019 para 66 anos e cinco meses, confirmou esta quinta-feira o Governo numa portaria publicada em Diário da República.

Portugal com 3ª maior subida homóloga nos preços das casas no 3º trimestre

Os preços homólogos das habitações aumentaram, no terceiro trimestre de 2017, 4,1% na zona euro e 4,6% na União Europeia (UE), com Portugal a registar a terceira maior subida (10,4%) entre os Estados-membros, divulga o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.