Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Falta de eletricidade preocupa população de Pedrógão Grande

| País
Porto Canal com Lusa

Pedrógão Grande, Leiria, 17 jun (Lusa) -- A população de Pedrógão Grande está assustada com o incêndio que está a atingir aquele concelho do distrito de Leiria e receia que a ausência de eletricidade seja um entrave ao combate ao fogo, disseram hoje moradores à Lusa.

A agência Lusa contactou presencialmente dois moradores da Atalaia Fundeira, naquele concelho, que se manifestaram apreensivos com o incêndio e explicaram que, "com o vento tão forte", será complicado "dominar o fogo".

"Estou muito assustada e não me recordo de algum incêndio semelhante nos últimos 10 anos", disse à Lusa Otília, de 68 anos, moradora em Atalaia Fundeira.

Às 19:30, em Pedrógão Grande, era praticamente de noite, tal o fumo que pairava pelo ar.

"Temos muito medo que o fogo venha por aí abaixo e nos atinja", disse também Palmira Coelho, antes de se refugiar em casa para proteger os seus bens.

O Itinerário Complementar 8 (IC8), entre o nó da zona industrial de Pedrógão Grande e o nó do Outão, está cortado ao trânsito desde as 19:00, disse fonte da GNR.

A Página da Proteção Civil na internet, às 20:00, indicava que 180 bombeiros, dois meios aéreos e 52 viaturas combatiam aquele incêndio, que começou nos Escalos, mas que já obrigou ao corte do Itinerário Complementar 8, bastante a sul daquela ignição.

Várias habitações estão em risco na vila de Pedrógão Grande, concelho de Pedrógão Grande, distrito de Leiria, disse hoje à agência Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários locais e da Guarda Nacional Republicana, por volta das 17:00.

JYGA/SSS// ATR

Lusa/fim

+ notícias: País

Várias empresas suspendem apoios após escândalo na Raríssimas

A Raríssimas já está a sofrer penalizações depois do escândalo que envolve a ex-presidente. Há mecenas que estão a cortar nos apoios à instituição. Na delegação centro, pelo menos uma empresa suspendeu o donativo.

Caso Raríssimas deixa portugueses com 'o pé-atrás' sobre futuras doações a IPSS

                                 

Estudantes de Viseu promovem referendo para decidirem futuro da Garraida

A tradição mantém-se viva e a Garraiada de Viseu não vai morrer. A dúvida sobre a manutenção do evento com 16 anos de história surgiu depois da contestação levantada pelo grupo de trabalho dos Direitos dos Animais pelo Bloco de Esquerda. A associação de estudantes da Escola Superior agrária de Viseu decidiu deixar a decisão a cargo dos alunos e promoveu um referendo o futuro da garraiada. Os alunos votaram a favor da manutenção em 2018 haverá Garraiada.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS