Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Polícia moçambicana registou 64 casos de sequestro em dois anos

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Maputo, 05 dez (Lusa) - A polícia moçambicana registou 64 casos de sequestro entre julho de 2001 e setembro de 2013, anunciou hoje o ministro do Interior de Moçambique, Alberto Mondlane.

Falando no parlamento, Mondlane considerou que os sequestros são um fenómeno novo "que chocaram profundamente a sociedade moçambicana, mas defendeu como "satisfatório" o trabalho da polícia na sua resolução.

"Mais casos serão levados a tribunal", prometeu o ministro, sem mencionar o facto de entre seis pessoas condenadas recentemente por sequestros estarem três polícias.

"As investigações mostram que o motivo para estes crimes é a acumulação fabulosa de dinheiro", disse Mondlane, que acrescentou: "Há redes de crime organizado que penetraram os sistemas financeiro, policial e judicial".

Números compilados pela Lusa referem que desde setembro foram raptadas onze pessoas, entre as quais quatro portugueses, estando um deles ainda em cativeiro.

LAS // VM

Lusa/Fim

twitter facebook Google plus Whatsapp imprimir

+ notícias: Mundo

Atentado do Estado Islâmico mata 15 guardas em posto fronteiriço no Iraque

Pelo menos 15 guardas foram hoje mortos num ataque do grupo Estado Islâmico num posto fronteiriço iraquiano junto à Jordânia, indicaram responsáveis.

Químico altamente tóxico encontrado no rosto de Kim Jong-nam

Kim Jong-nam, meio-irmão do líder norte-coreano, foi assassinado com um químico letal fabricado para contextos de guerra química, anunciou hoje a polícia malaia.

Casa Branca impede vários meios de comunicação de ouvir assessor de imprensa

Washington, 24 fev (Lusa) -- Vários meios de comunicação, incluindo New York Times, Los Angeles Times, CNN e Político foram impedidos de integrar um conjunto de órgãos para ouvir, sem imagem, o assessor de imprensa da Casa Branca, segundo vários relatos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS