Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Polícia moçambicana registou 64 casos de sequestro em dois anos

| Mundo
Fonte: Agência Lusa

Maputo, 05 dez (Lusa) - A polícia moçambicana registou 64 casos de sequestro entre julho de 2001 e setembro de 2013, anunciou hoje o ministro do Interior de Moçambique, Alberto Mondlane.

Falando no parlamento, Mondlane considerou que os sequestros são um fenómeno novo "que chocaram profundamente a sociedade moçambicana, mas defendeu como "satisfatório" o trabalho da polícia na sua resolução.

"Mais casos serão levados a tribunal", prometeu o ministro, sem mencionar o facto de entre seis pessoas condenadas recentemente por sequestros estarem três polícias.

"As investigações mostram que o motivo para estes crimes é a acumulação fabulosa de dinheiro", disse Mondlane, que acrescentou: "Há redes de crime organizado que penetraram os sistemas financeiro, policial e judicial".

Números compilados pela Lusa referem que desde setembro foram raptadas onze pessoas, entre as quais quatro portugueses, estando um deles ainda em cativeiro.

LAS // VM

Lusa/Fim

twitter facebook Google plus Whatsapp imprimir

+ notícias: Mundo

França vai pedir suspensão de negociações do acordo comercial UE-EUA

França vai pedir à Comissão Europeia que suspenda as negociações do acordo comercial entre a União Europeia e os Estados Unidos, disse hoje o secretário de Estado do Comércio Externo francês.

Crise é o momento certo para empresas portuguesas apostarem em Moçambique

Maputo, 30 ago (Lusa) - O presidente da AICEP, Miguel Frasquilho, defendeu em Maputo que a crise que Moçambique atravessa deve ser vista pelas empresas portuguesas como o momento certo para apostarem no país africano, porque a prazo vão recolher benefícios.

Censura chinesa quer notícias de sociedade ou entretenimento com "energia positiva"

Pequim, 30 ago (Lusa) - As autoridades chinesas responsáveis pela censura anunciaram uma campanha contra notícias de sociedade ou entretenimento que "careçam de energia positiva, valores adequados ou elevados", em mais um passo para reforçar a censura no país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS