Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Estados Unidos confirmam presença de dois porta-aviões na Península da Coreia

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Seul, 19 mai (Lusa) -- A Marinha dos Estados Unidos confirmou hoje o envio do porta-aviões USS Ronald Reagan para uma zona próxima da Península da Coreia juntando-se ao USS Carl Vinson, numa altura em que agravam as relações entre Washington e Pyongyang.

Um breve comunicado do Comando do Pacífico (PACOM, na sigla em inglês) confirma que o porta-aviões USS Ronald Reagan, da base naval norte-americana de Yokosuka (costa oriental do Japão), está na zona e que iniciou patrulhas regulares no Pacífico ocidental "na primavera".

O comunicado não esclarece se os dois porta-aviões de propulsão nuclear estão juntos sendo que não é normal que os Estados Unidos usem vários navios deste género no "mesmo teatro de operações".

No domingo, a Coreia do Norte lançou um míssil de médio alcance, num ensaio que segundo os analistas dos Estados Unidos pode ter servido para desenvolver armamento capaz de atingir o Alasca.

Um porta-voz do Ministério da Defesa da Coreia do Sul explicou à EFE que o porta-aviões USS Carl Vinson encontra-se neste momento a realizar manobras com a Marinha da Coreia do Sul no Mar do Japão.

Por outro lado, uma fonte do governo de Seul disse à agência Yonhap que os dois porta-aviões podem eventualmente realizar manobras conjuntas com as forças da Coreia do Sul no princípio de junho mas o Ministério da Defesa recusou pronunciar-se sobre o assunto.

PSP // SB

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

População da Dominica "perdeu tudo o que podia ter perdido" com furacão Maria

Os habitantes da Dominica "perderam tudo o que podiam ter perdido" após a passagem do furacão Maria, disse hoje o primeiro-ministro daquela ilha das Caraíbas, Roosevel Skerrit.

Polícia britânica detém segundo suspeito de ataques ao metro de Londres

Um segundo suspeito dos ataques de sexta-feira ao metro de Londres foi detido este sábado à noite, anunciou este domingo a polícia britânica.

Reino Unido deve obrigar Credit Suisse a divulgar contornos dos empréstimos a Moçambique

Londres, 19 set (Lusa) - A diretora do Comité para o Jubileu da Dívida (CJD) considerou hoje que o Governo do Reino Unido deve obrigar o banco Credit Suisse, que intermediou os empréstimos escondidos em Moçambique, a tornar públicos os documentos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...