Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Angola proíbe importação de carne de 21 empresas brasileiras suspeitas

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Luanda, 19 mai (Lusa) - O Ministério da Agricultura de Angola proibiu a importação de carne proveniente de 21 estabelecimentos brasileiros em investigação naquele país, conforme despacho de 09 de maio a que a Lusa teve hoje acesso.

Em causa está o escândalo da carne exportada por empresas brasileiras em investigação por suspeitas de adulteração de produto estragado com recurso a químicos, conhecido em março e desde então também em investigação em Angola.

No despacho assinado pelo ministro da Agricultura, Marcos Nhunga, refere-se que as autoridades brasileiras confirmaram "as referidas irregularidades" e interditaram 21 estabelecimentos empresariais.

Estas mesmas empresas passam a ser proibidas de exportar carne para Angola, de acordo com este despacho, que ainda determina que os importadores devem "obrigatoriamente anexar no processo de importação a declaração do estabelecimento de origem".

"Os laboratórios nacionais de controlo de qualidade alimentar, sob coordenação do Instituto dos Serviços de Veterinária, devem proceder à análise e certificação de todas as mercadorias à chegada", refere o despacho, que também define a necessidade de "reforçar as atividades de inspeção e fiscalização das carnes provenientes da República Federativa do Brasil".

Angola lançou no final de março uma investigação à existência no país de carne proveniente de empresas do Brasil envolvidas na adulteração de produto estragado com recurso a químicos.

A polícia brasileira descobriu em março que várias das principais empresas de carne do país, com a cumplicidade de agentes públicos e gestores empresariais, "maquilharam" com produtos químicos carnes que estavam em mau estado e não cumpriam os requisitos para exportação.

Conforme indicou na altura à Lusa o diretor dos Serviços de Veterinária de Luanda, Edgar Dombolo, foram colocadas equipas no terreno a fazer a recolha de dados sobre as importações, não tendo sido divulgada qualquer situação anormal.

O responsável referiu que Angola importa carne bovina, suína e aves do Brasil, salientando que este caso merece alguma celeridade, para se informar o público consumidor.

O Governo brasileiro atribuiu as irregularidades a um delito de corrupção - a certificação de produtos adulterados foi obtida através de subornos - e não a um problema de saúde pública ou falta de controlo sanitário.

PVJ // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Angola avança com Agência Nacional de Petróleos para libertar Sonangol

Luanda, 18 nov (Lusa) - O Governo angolano vai criar um grupo de trabalho com vista a implementar a futura Agência Nacional de Petróleos, para que a Sonangol se concentre na sua atividade principal, de procurar, produzir, transformar e comercializar produtos petrolíferos.

Donald Trump adia política de importação de presas de elefantes africanos

Washington, 18 nov (Lusa) -- O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou, na passada sexta-feira, que vai adiar promulgação da lei que permite a importação de presas de elefantes africanos.

Detido diretor nacional do Tesouro angolano por suspeita de desvio de verbas - imprensa

Luanda, 18 nov (Lusa) - O diretor nacional do Tesouro angolano, Edson Vaz, foi detido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC) de Angola, no âmbito de uma investigação policial a alegados desvios de verbas do Estado através de contratos celebrados com empresas fictícias.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS