Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Crescimento de 3,2% e défice de 1,4% "é uma hipótese" para este ano - Marcelo

| Política
Porto Canal com Lusa

Zagreb, 18 mai (Lusa) - O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que "é uma hipótese que não está afastada" Portugal conseguir este ano um crescimento económico à volta de 3,2% e um défice de 1,4%.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu hoje estes números à conversa com deputados croatas, em Zagreb, a propósito da evolução da situação económica e financeira em Portugal, num momento de recolha de imagens, captado pela RTP.

Mais tarde, questionado pela RTP sobre onde foi buscar aqueles dois dados, o Presidente da República respondeu: "Eu disse que é uma hipótese que não está afastada o poder haver uma evolução positiva da economia, se ela vier de trás, que aponte para a confirmação destes números".

Marcelo Rebelo de Sousa disse que nunca divulgou estes dados "porque ninguém pode revelar uma realidade que não existe", e acrescentou: "Eu digo que é um dos cenários possíveis, um défice mais baixo e um crescimento mais alto".

IEL // JPS

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Municípios rejeitam propostas de habitação do Governo

A direcão da Associação Nacional de Municípios rejeitou duas das propostas do Governo para a habitação apresentadas esta semana, o programa 1º Direito e o Programa Arrendamento Acessível. É que apesar das autárquias quererem ter mais competências nesta matéria avisam que são necessárias as devidas e proporcionais transferências financeiras.

Governo investe 70 milhões em 303 projetos de valorização turística do interior

O Governo vai investir 70 milhões em 303 projetos de valorização turística do interior. O anúncio foi feito por Caldeira Cabral durante a assinatura de projetos apoiados pelo programa valorizar na região centro.

Tiago Brandão Rodrigues nega ilegalidades no concurso extraordinário de professores

O Ministro da Educação nega ilegalidades no concurso extraordinário de professores. A propósito das críticas da FENPROF sobre o concurso Tiago Brandão Rodrigues diz que houve negociação e que "legalmente foi tudo acautelado.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.