Info

Congresso Nacional de Condomínios quer "dar voz à falta de legislação"

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 mai (Lusa) -- O III Congresso Nacional de Condomínios, que se realiza no sábado, em Lisboa, pretende "dar voz à falta de legislação" no setor, propondo uma discussão sobre o conflito entre a atividade do alojamento local e as administrações de condomínio.

"Legislação... para quando?" é o tema central do evento, que conta com a participação de 18 oradores, nomeadamente administradores de condomínio, proprietários e inquilinos, anunciou a empresa Debates & Discursos, responsável pela organização.

Do programa destaca-se o painel sobre "a nova figura do alojamento local perante as administrações de condomínio", com o presidente da Associação do Alojamento Local em Portugal (ALEP), Eduardo Miranda.

Em declarações à agência Lusa, o dirigente da ALEP disse que "há muito desconhecimento" por parte dos condomínios, pelo que pretende aproveitar o encontro para esclarecer "como é que funciona na prática o alojamento local".

No âmbito do congresso, Eduardo Miranda vai apresentar alguns pontos do manual de boas práticas do alojamento local, que será oficialmente apresentado na próxima semana e tem como objetivo "garantir o respeito pelos interesses de todos: proprietários, condóminos, inquilinos e turistas".

"Quando falamos nessa conflitualidade, isso é uma gota de água", afirmou, referindo que existem "meia dúzia de processos" que opõem administradores de condomínios e estabelecimentos de alojamento local.

De acordo com Eduardo Miranda, na maior parte dos casos de conflito "não houve reclamações objetivas, ou seja, era mais do que tudo a ideia de que 'quero proibir por proibir', [...] não tanto como consequência de factos reais".

Ainda que a maioria dos condomínios não apresente reclamações específicas contra a atividade do alojamento local, a ALEP quer continuar a "promover o espírito de boa vizinhança e de cooperação entre os proprietários que desempenham a atividade do alojamento local e as assembleias de condóminos", de forma a garantir a "harmonia" entre todos os intervenientes.

"É uma área nova, há muito desconhecimento, portanto é mais uma questão de esclarecimento e tentar chegar aqui à mediação de bom senso", declarou Eduardo Miranda.

Para o dirigente da ALEP, é possível resolver os conflitos "com pequenos ajustes e algum diálogo".

Apesar de não participar no III Congresso Nacional de Condomínios, o presidente da Associação Portuguesa de Empresas de Gestão e Administração de Condomínios (APEGAC), Fernando Cruz, disse à Lusa que as principais preocupações no setor são a regulamentação da atividade de administração profissional de condomínios, a reabilitação do património edificado e a questão do alojamento local.

"Atualmente, há uma grande celeuma sobre a questão do alojamento local e do conceito da definição de utilização para habitação em horizontal", declarou Fernando Cruz, advogando que o Governo deve "clarificar a legislação", nomeadamente "a definição do termo de habitação na horizontal, ou seja, se esse termo permite a exploração comercial ou não de curto prazo".

Para o presidente da APEGAC, o ideal é que haja "algum bom senso", por parte das administrações de condomínios, no tratamento de casos de alojamento local.

Além da conflitualidade com a atividade do alojamento local, o III Congresso Nacional de Condomínios vai abordar o problema das dívidas ao condomínio e os benefícios fiscais para condomínios e condóminos perante a reabilitação do edificado.

O evento dirige-se a todos os interessados pela área, "desde o condómino/proprietário da fração ao condómino/inquilino", e engloba desde advogados a agentes de execução e administradores de condomínios.

SYSM // ROC

Lusa/fim

+ notícias: País

Críticas à greve dos enfermeiros aumentam

Há cada mais vozes a questionar a duração e a forma como está a ser feita a greve dos enfermeiros. O Presidente da República, por exemplo, diz que a greve pode ser incompreendida pela sociedade e defende um equilíbrio entre as razões dos enfermeiros e os sacrifícios para utentes.

Descarrilamento de elétrico em Lisboa faz 28 feridos ligeiros

As autoridades conseguiram já desencarcerar todas as vítimas do descarrilamento do elétrico da carreira 25, em Lisboa, que provocou 28 feridos ligeiros, segundo o balanço dos bombeiros feito no local.

Legião da Boa Vontade entrega 800 cabazes de natal em todo o país

A Legião da Boa Vontade vai entregar em todo o país 800 cabazes de natal. Hoje cem famílias carenciadas de braga receberem alimentos e brinquedos.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.