Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Governo diz que manutenção de 'rating' e perspetiva reflete "os legados da crise"

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 abr (Lusa) - O Ministério das Finanças considerou hoje que a decisão da DBRS, de manter o 'rating' e a perspetiva estável de Portugal, "reflete os legados da crise", bem como o desempenho do país a nível económico e orçamental.

A agência de notação financeira DBRS anunciou hoje que manteve o 'rating' atribuído a Portugal em 'BBB' (baixo), o primeiro nível de investimento, acima do 'lixo', deixando também inalterada perspetiva estável, o que sinaliza a intenção de não alterar esta nota no médio prazo.

Minutos depois, o ministério de Mário Centeno emitiu um comunicado no qual considera que "a DBRS reconhece o progresso que se tem verificado nos principais desafios que ainda se colocam ao país" e que esta decisão "reflete os legados da crise, em particular no endividamento e nos créditos em risco", e também "o facto de Portugal ter excedido as expectativas do mercado no que toca ao crescimento económico, à consolidação orçamental e à estabilização do setor financeiro".

As Finanças referem ainda que "o reconhecimento dos bons resultados económicos e financeiros serve de âncora à classificação de Portugal com o grau de investimento, o que é refletido nas análises de crédito mais construtivas".

A DBRS justifica a manutenção do 'rating' com fatores positivos, ligados ao cumprimento das regras europeias, mas também negativos, alertando para "desafios significativos" que se colocam a Portugal, como os "níveis elevados de endividamento público e empresarial, um crescimento potencial baixo e pressões orçamentais".

ND (SP) // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Política

O que é um Governo sombra?

O novo líder do PSD estará a preparar um Governo sombra, à semelhança do que acontece no Reino Unido ou nos Estados Unidos. Trata-se de um conjunto de porta-vozes em diferentes setores da politica pública, chamados de ministros sombra, que têm como objetivo intensificar a oposição em cada uma das áreas em concreto.

Cristas quer "partido de todos" sem rótulos de partido de ricos, patrões ou quadros

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, defende na sua moção ao Congresso que o grande desafio dos centristas é afirmarem-se como "o partido de todos", ultrapassando rótulos de partido de quadros, ricos ou patrões.

Câmara do Porto disposta a pagar indemnização de 600 mil euros a empresas impedidas de construir parque na Boavista

A Câmara do Porto está disposta a pagar uma indemnização de 600 mil euros a duas empresas, que durante dez anos foram impedidas de construir um parque de estacionamento na Boavista. Em causa esteve a indefinição em torno das linhas do metro do Porto. A votação da proposta acabou por ser adiada, mas na reunião desta quinta-feira ficou claro que a oposição não concorda que autarquia assuma responsabilidades no assunto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.