Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Governo diz que manutenção de 'rating' e perspetiva reflete "os legados da crise"

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 abr (Lusa) - O Ministério das Finanças considerou hoje que a decisão da DBRS, de manter o 'rating' e a perspetiva estável de Portugal, "reflete os legados da crise", bem como o desempenho do país a nível económico e orçamental.

A agência de notação financeira DBRS anunciou hoje que manteve o 'rating' atribuído a Portugal em 'BBB' (baixo), o primeiro nível de investimento, acima do 'lixo', deixando também inalterada perspetiva estável, o que sinaliza a intenção de não alterar esta nota no médio prazo.

Minutos depois, o ministério de Mário Centeno emitiu um comunicado no qual considera que "a DBRS reconhece o progresso que se tem verificado nos principais desafios que ainda se colocam ao país" e que esta decisão "reflete os legados da crise, em particular no endividamento e nos créditos em risco", e também "o facto de Portugal ter excedido as expectativas do mercado no que toca ao crescimento económico, à consolidação orçamental e à estabilização do setor financeiro".

As Finanças referem ainda que "o reconhecimento dos bons resultados económicos e financeiros serve de âncora à classificação de Portugal com o grau de investimento, o que é refletido nas análises de crédito mais construtivas".

A DBRS justifica a manutenção do 'rating' com fatores positivos, ligados ao cumprimento das regras europeias, mas também negativos, alertando para "desafios significativos" que se colocam a Portugal, como os "níveis elevados de endividamento público e empresarial, um crescimento potencial baixo e pressões orçamentais".

ND (SP) // CSJ

Lusa/fim

+ notícias: Política

Marcelo Rebelo de Sousa deixa hospital de Braga e cancela agenda do fim de semana

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, já deixou o hospital de Braga onde foi observado depois de se ter sentido mal ao final da manhã, tendo o próprio explicado aos jornalistas que teve uma gastroenterite aguda e anunciado o cancelamento da restante agenda para o fim de semana.

Jerónimo de Sousa diz que não “assina de cruz” o Orçamento do Estado para 2019

O secretário-geral do PCP afirmou, na sexta-feira ao fim da noite, que não irá "assinar de cruz" o Orçamento do Estado (OE) para 2019 e lembrou que não se pode pronunciar sobre algo que ainda não existe.

Rui Rio diz que não fala de "questões internas" do PSD em circunstância alguma

O presidente do PSD salientou esta sexta-feira que não fala sobre “questões internas” do partido “em circunstância nenhuma”, quando questionado sobre se houve falta de concertação entre a bancada e a direção na aprovação do projeto do CDS-PP sobre combustíveis.

Atualizado 23-06-2018 11:58

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.