Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Ato cobarde que visava perturbar eleições e semear medo - MNE português

| Política
Porto Canal com Lusa

Praia da Vitória, Terceira, Açores, 21 abr (Lusa) - O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considerou hoje o atentado de Paris um "ato cobarde" que visava "perturbar a realização das eleições" e "semear o medo e a insegurança nas cidades europeias".

Augusto Santos Silva falava à Lusa, na Praia da Vitória, Terceira, à margem de uma cimeira internacional sobre a criação do futuro centro de investigação para o Atlântico nos Açores.

Segundo o chefe da diplomacia portuguesa, o ataque de quinta-feira, que matou um polícia e feriu outros dois, "tinha dois objetivos": o de "perturbar a realização das eleições francesas" e o de "semear o medo e a insegurança nas cidades europeias".

A França vai a votos no domingo para a primeira volta das eleições presidenciais.

Augusto Santos Silva manifestou "solidariedade com o povo e as autoridades francesas", sustentando que o "ato cobarde" não "irá perturbar a escolha democrática" nem "vergar a adesão aos valores da democracia".

O Governo português repudiou hoje o "hediondo" atentado terrorista de quinta-feira em Paris, no qual um polícia francês foi assassinado a tiro, sublinhando que este ataque evidencia a necessidade de um reforço da cooperação e partilha de informações.

Também a secretária de Estado dos Assuntos Europeus, Margarida Marques, repudiou o "atentado hediondo".

"Repudiamos esse atentado. É mais um e é horrível para as pessoas. É um atentado hediondo, que continua a repetir-se na Europa e fora da Europa. Mas só nos vem lembrar - se é que seria necessário - que a cooperação na luta contra o terrorismo e a partilha de dados têm de ser mais efetivas", afirmou à agência Lusa a secretária de Estado dos Assuntos Europeus.

Margarida Marques falava à Lusa a partir de Tallinn, onde participou - desde quinta-feira - numa visita de trabalho à Estónia. A Estónia assume a presidência rotativa da União Europeia a partir de 01 de julho.

Na quinta-feira à noite, um homem disparou com uma arma automática contra um veículo da polícia na Avenida dos Campos Elísios, na capital francesa, matando um agente e ferindo outros dois.

O atacante, alegadamente um islâmico radicalizado, foi morto no local.

ER/NVI (MDR) // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Lei garante que trabalhadores do Infarmed podem recusar ir para o Porto, diz Fesap

O secretário-geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) disse hoje que os trabalhadores do Infarmed não podem ser obrigados a mudar-se para o Porto e que os que aceitarem fazê-lo têm direito a receber dinheiro pelas despesas de deslocação.

Aprovado aumento extraordinário de 6 ou 10 euros nas pensões

Os deputados aprovaram hoje na especialidade o aumento extraordinário das pensões, de seis ou de 10 euros, que começará a ser pago em agosto do próximo ano.

Eurico Castro Alves elogia a ida do Infarmed para o Porto

O médico Eurico Castro Alves, recentemente envolvido na Comissão de Candidatura da ida da EMA para a cidade do Porto, afirma que a ida do Infarmed é "uma boa notícia" para o Porto e para Portugal porque, para o médico, esta medida é "um sinal" que o Governo pretende "aplicar os recursos de uma forma distribuida, equitativa e organizada".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS