Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Leitura partilhada de "Húmus" de Raul Brandão e Herberto Helder no Dia do Livro

| Norte
Porto Canal com Lusa

Porto, 21 abr (Lusa) - O Teatro Nacional São João (TNSJ), no Porto, vai assinalar o Dia Mundial do Livro, que se assinala no próximo domingo, com sessões de leitura partilhada de obras dos escritores Herberto Helder e Raul Brandão.

O TNSJ propõe uma leitura partilhada de "Húmus" de Herberto Helder, bem como de excertos da obra homónima e original de Raul Brandão, que terá lugar a partir das 14:30 no Teatro Carlos Alberto (TeCA).

Esta iniciativa antecipa a última récita de E-nxada, espetáculo em cena no TeCA, que remete para a ruralidade, a sua desconstrução e imaginário sob um ponto de vista urbano e contemporâneo, explica o TNSJ, em comunicado.

As leituras visam explorar "a relação dualista destes autores presentes no Plano Nacional de Leitura", e serão partilhadas por Ana Mafalda Pereira, Nuno M. Cardoso e Rita Pinheiro.

"Húmus", considerada por muitos críticos a obra-prima de Raul Brandão, foi escrito durante a primeira Grande Guerra e foi publicado pela primeira vez no ano da Revolução Russa (1917).

Trata-se de um romance-monólogo, centrado em dois monólogos interiores, entre o narrador, sem nome, e o seu alter-ego, um filósofo lunático chamado "Gabiru", em que ambos registam a vida de uma pequena vila, ao longo de um ano, explorando a contradição entre o mundo aparente e o autêntico.

Esta obra tem originado diversas interpretações por parte da crítica literária, que tanto a enquadra no Simbolismo como no Expressionismo, e tem despertado a admiração de vários escritores portugueses, entre os quais Herberto Helder, que, em 1967, escreveu o poema-montagem "Húmus", uma reescrita do romance homónimo de Raul Brandão, com recurso apenas a palavras retiradas do original.

Quanto à E-nxada, trata-se de uma investigação artística, dirigida a todos os públicos, sobre os dualismos rural/urbano e passado/presente, que reflete o que fomos e o que somos, que conta com direção artística e conceção plástica de Vasco Gomes e Julieta Guimarães.

O conceito do espetáculo parte da ferramenta ancestral -- a enxada, enquanto o símbolo de trabalho primário -- e junta objetos do nosso eletrónico quotidiano, num contraponto irónico, explica o TNSJ.

AL // MAG

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Posto de Correios em Anadia assaltado à mão armada

Um grupo de quatro homens assaltou hoje à mão armada um posto dos CTT situado na Curia, em Anadia, informou a GNR.

Pena suspensa para rapaz que violou outro num lar em Braga

O Tribunal da Relação de Guimarães confirmou a condenação a três anos e oito meses de prisão, com pena suspensa, de um rapaz que violou outro num lar de jovens em Braga.

Município de Paços de Ferreira indica que não existem estruturas suficientes para receber refugiados

A Plataforma de Apoio aos Refugiados avisa que existe falta de estruturas para receber migrantes em Portugal. Paços de Ferreira acolheu o seminário sobre a integração de migrantes refugiados, um debate que ficou marcado pelas críticas ao Governo.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa de Saima, em Sangalhos, Anadia