Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

PSP de Vila Real regista 0,8% das ocorrências criminais a nível nacional

| Norte
Porto Canal com Lusa

Vila Real, 21 abr (Lusa) -- O comandante distrital da PSP de Vila Real disse hoje que, em 2016, foram registadas 1.341 ocorrências criminais na área de intervenção desta polícia, o que representa 0,8% da criminalidade verificada a nível nacional.

O superintendente Vítor Barros Soares aproveitou o 134.º aniversário do Comando Distrital, que se celebrou hoje, para fazer um balanço da atividade desta polícia, que atua nas cidades de Vila Real e Chaves.

Segundo o responsável, durante o ano passado, foram registadas pelo comando 1.342 ocorrências criminais, o que disse representar "uma ínfima percentagem de 0,8%" das ocorrências verificadas a nível nacional".

"Da análise efetuada podemos concluir que a criminalidade registada neste comando, em 2016, pauta-se por incidir maioritariamente nos crimes contra o património, seguidos pelos crimes contra as pessoas e crimes contra a vida em sociedade", frisou.

Nesse ano foram efetuadas 555 operações de visibilidade policial e 1.850 operações de fiscalização de trânsito.

A PSP de Vila Real deteve 325 pessoas em 2016, mais 13% do quem em 2015, controlou 35.860 veículos por radar, levantou 508 autos de contraordenação por excesso de velocidade, submeteu 7.650 condutores ao teste de alcoolemia e levantou 198 autos de contraordenação por excesso de álcool.

Vítor Barros disse ainda que, no âmbito do combate ao tráfico de estupefacientes, a polícia apreendeu 14.474 doses de droga e elaborou 54 autos de ocorrência por consumo.

O comandante salientou que o comando transmontano está também atento "à nova realidade como o terrorismo internacional" e, por isso, disse que tem sido "efetuado um apertado controlo de explosivos".

Nesse sentido, o núcleo de armas e explosivos e as brigadas de fiscalização efetuaram 64 ações de verificação em todo o distrito, "no sentido de precaver que esta matéria explosiva e seus componentes não sejam desviados para fins diferentes a que se destinam".

No ano passado foram efetuadas 80 fiscalizações a armeiros e a 109 locais de consumo de explosivos (pedreiras, obras de construção civil e explorações agrícolas), tendo sido elaborados 15 autos de notícia por contraordenação.

Foram ainda transferidas para a Direção Nacional da PSP, 203 armas de fogo, 31 armas brancas e 615 munições de diversos calibres.

Vítor Barros afirmou que acue comando se preocupa também com "determinados tipos de delito e de comportamentos antissociais que visam diretamente o cidadão e, como tal, fortemente influenciadores do sentimento de segurança da população".

Por isso, destacou a aposta no policiamento de proximidade e de visibilidade e referiu que, em 2016, foram realizadas 440 ações nas escolas, 204 no comércio seguro e 77 ações de sensibilização sobre armas e explosivos.

O comandante adiantou ainda que, já no primeiro trimestre deste ano, a PSP registou em Vila Real uma diminuição de 22% na criminalidade geral (menos 87 ocorrências), e a criminalidade violenta e grave apresenta um decréscimo de 72% (menos 18 crimes). Dados comparativos com igual período do ano passado.

A festa de aniversário incluiu uma exposição de armas nos claustros do edifício do ex-Governo Civil e uma homenagem ao polícia sinaleiro, reativando, durante algumas horas, um serviço de gestão do tráfego rodoviário.

PLI // LIL

Lusa/Fim

+ notícias: Norte

Incêndio em edifício na Baixa do Porto em fase de rescaldo

O incêndio que este sábado deflagrou num edifício na Baixa do Porto, não provocando vítimas, entrou em fase de rescaldo pelas 12h08, disse à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

Relatório de perito americano aponta inúmeras falhas no combate aos incêndios em Portugal

Portugal tem falta de meios humanos para combater incêndios. Esta é uma das principais conclusões de um relatório que aponta inúmeras falhas no combate aos incêndios, e refere que se nada for feito o pior ainda pode estar para vir.

Três detidos e nove identificados por incêndios devido a queimadas

Três pessoas foram detidas nos últimos dias em flagrante delito e nove outras identificadas pelo crime de incêndio florestal devido ao descontrolo de queimadas nos distritos de Viseu, Castelo Branco e Porto, anunciou este sábado a GNR.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.