Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Sindicatos reúnem-se segunda-feira com Governo para discutir regularização de precários no Estado

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 21 abr (Lusa) -- A secretária de Estado da Administração e do Emprego Público, Carolina Ferra, reúne-se segunda-feira com os sindicatos da Função Pública para discutir o processo de regularização de precários no Estado.

De acordo com a convocatória enviada pela tutela aos sindicatos, a primeira estrutura a ser ouvida será a Fesap - Federação de Sindicatos da Administração Pública, seguida do STE - Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e da Frente Comum.

Os encontros ocorrem depois de na semana passada o Governo ter enviado um projeto de portaria aos sindicatos onde esclarece que o programa de regularização de precários será alargado a todas as carreiras da Função Pública, mesmo as que têm regras próprias de vinculação, ficando de fora apenas os professores, uma vez que estes se encontram abrangidos por um concurso de vinculação extraordinária.

O Governo estima que existam mais de 100 mil precários no Estado.

Assim que a portaria entre em vigor, e no prazo de dez dias, serão constituídas as 14 comissões de avaliação bipartida (uma em cada ministério) com representantes dos ministros das Finanças e do Trabalho, outro do dirigente do serviço e ainda dos três sindicatos da função pública.

O processo de avaliação, segundo o documento, começa por iniciativa do trabalhador que terá 60 dias para enviar um requerimento à comissão de avaliação do ministério que tutela o seu serviço a pedir que o seu caso seja analisado.

Para isso, terá que preencher um requerimento onde conte o serviço onde trabalha, a data de início de funções, a sua chefia direta, as funções desempenhadas, se trabalha a tempo parcial ou completo e o tipo de contrato que detém.

ICO // ATR

Lusa/Fim

+ notícias: Política

Lei garante que trabalhadores do Infarmed podem recusar ir para o Porto, diz Fesap

O secretário-geral da Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) disse hoje que os trabalhadores do Infarmed não podem ser obrigados a mudar-se para o Porto e que os que aceitarem fazê-lo têm direito a receber dinheiro pelas despesas de deslocação.

Aprovado aumento extraordinário de 6 ou 10 euros nas pensões

Os deputados aprovaram hoje na especialidade o aumento extraordinário das pensões, de seis ou de 10 euros, que começará a ser pago em agosto do próximo ano.

Eurico Castro Alves elogia a ida do Infarmed para o Porto

O médico Eurico Castro Alves, recentemente envolvido na Comissão de Candidatura da ida da EMA para a cidade do Porto, afirma que a ida do Infarmed é "uma boa notícia" para o Porto e para Portugal porque, para o médico, esta medida é "um sinal" que o Governo pretende "aplicar os recursos de uma forma distribuida, equitativa e organizada".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS