Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Autor do ataque tinha sido detido em fevereiro

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Paris, 21 abr (Lusa) -- O autor do ataque de quinta-feira em Paris, reivindicado pelo Estado Islâmico, tinha sido detido em fevereiro por ameaças contra a polícia e mais tarde libertado, disseram hoje à Associated Press duas fontes oficiais francesas.

As fontes falaram à Associated Press (AP) sob anonimato porque não foram autorizadas a pronunciarem-se publicamente sobre o atentado de quinta-feira na capital francesa.

De acordo com as fontes da AP, o autor do atentado tinha sido detido no final do mês de fevereiro após ter verbalizado ameaças contra a polícia, tendo sido posteriormente libertado por falta de provas.

Um polícia foi morto e dois ficaram gravemente feridos na quinta-feira à noite, quando o homem disparou contra o veículo em que seguiam na avenida dos Campos Elísios, no centro de Paris.

O atacante foi morto por outros agentes da polícia francesa.

O ataque de Paris ocorreu a três da primeira volta das presidenciais francesas.

PSP // SB

Lusa/fim

+ notícias: Mundo

Jerusalém: Polícia lança gás contra manifestantes frente à embaixada dos EUA no Líbano

A polícia libanesa lançou hoje gás lacrimogéneo contra os manifestantes que protestavam em frente à embaixada dos Estados Unidos, em Beirute, contra a decisão de o presidente Donald Trump reconhecer Jerusalém como capital de Israel.

Dois palestinianos mortos em bombardeamentos do exército israelita em Gaza de madrugada

Pelo menos dois palestinianos morreram nos bombeamentos do exército israelita este sábado de madrugada contra as forças militares do movimento islâmico Hamas na Faixa de Gaza, num total já de quatro vítimas mortais nos confrontos, revelaram autoridades palestinas.

ONU pede acolhimento urgente para 1.300 pessoas "extremamente vulneráveis"

Genebra, Suíça, 11 dez (Lusa) -- A ONU lançou hoje um apelo urgente para o acolhimento de 1.300 refugiados "extremamente vulneráveis" bloqueados na Líbia, após revelações de abusos horríveis de que são vítimas os migrantes neste país.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS