Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Todas as vítimas mortais das explosões de Lamego já estão identificadas

Todas as vítimas mortais das explosões de Lamego já estão identificadas
| Norte
Porto Canal com Lusa

As oito vítimas mortais das explosões numa fábrica de pirotecnia do concelho de Lamego, no início do mês, já foram identificadas, disse hoje à agência Lusa fonte do Ministério da Justiça.

De acordo com a fonte, os três últimos corpos foram "identificados através de análises genéticas".

As explosões ocorreram cerca das 17:50 do dia 04, na fábrica de pirotecnia Egas Sequeira, situada na freguesia da Penajóia, no concelho de Lamego, distrito de Viseu.

Seis corpos foram transportados no dia 05 para o Instituto de Medicina Legal do Porto, mas duas pessoas continuaram desaparecidas.

Na noite do dia 06, as buscas pelos restos mortais foram encerradas, após terem sido encontrados mais vestígios biológicos que apontariam para a confirmação de oito mortos.

No dia 07, fonte do Ministério da Justiça informou que três das oito vítimas mortais das explosões tinham sido identificadas.

A 11, tinham sido identificadas mais duas, através das impressões digitais.

+ notícias: Norte

Guardas prisionais protestam em Matosinhos contra as alterações do horário de trabalho

Mais de meia centena de guardas prisionais de várias cadeias do Norte concentraram-se em frente à prisão de Custóias em Matosinhos, em protesto. Contestam a alteração do horário de trabalho que vai entrar em vigor no mês de novembro.

Carlos Pinto: a página do diário de uma manhã em Vigo

Carlos Pinto está preso preventivamente há mais de um ano e meio em Espanha. O português está indiciado pelo crime de tentativa de homicídio, cometido a 2 de maio do ano passado, contra a mulher. Numa carta enviada ao Porto Canal, o empresário confessa que está inocente e conta em exclusivo tudo o que aconteceu naquele quarto de hotel.

"D'après Fibonacci e as coisas lá fora" mostra artistas portugueses em Serralves

O artista plástico, Pedro Cabrita Reis, reuniu 80 obras datadas de períodos específicos do percurso do pintor Jorge Pinheiro, numa mostra patente na Fundação de Serralves, no Porto. "D'après Fibonacci e as coisas lá fora" dá sequência à obra de artistas relevantes portugueses do século XX.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Nota Alta

"Todos nós estamos desenhados...