Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Tribunal de Évora condena ex-diretora de lar juvenil a nove anos de prisão

| País
Porto Canal com Lusa

Évora, 20 mar (Lusa) - O Tribunal de Évora condenou hoje a nove anos de prisão efetiva a ex-diretora de um lar juvenil de Reguengos de Monsaraz, no Alentejo, acusada de abuso sexual de menores, maus tratos, sequestro agravado e peculato.

Na leitura do acórdão, o tribunal deu como provados seis de um total de 24 crimes de que estava acusada, nomeadamente um crime de abuso sexual de menor em trato sucessivo, dois de maus tratos e três de peculato.

A antiga diretora do Lar Nossa Senhora de Fátima da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, foi ainda condenada, além de nove anos de prisão efetiva, a cinco anos de proibição de exercício de funções.

Além da antiga diretora técnica do lar de infância e juventude, o tribunal condenou igualmente uma funcionária a dois anos e meio de prisão suspensa por igual período, absolvendo os restantes sete arguidos.

A ex-diretora do lar, Vânia Pereira, de 36 anos, estava acusada de um total de 24 crimes, 11 dos quais de abuso sexual de menor dependente, quatro de maus tratos, três de maus tratos em coautoria, três de sequestro agravado em coautoria e três de peculato.

No banco dos réus, sentaram-se ainda quatro elementos da sua equipa, duas funcionárias, a Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz e o respetivo provedor, todos absolvidos.

A antiga diretora técnica do lar foi detida a 14 de abril de 2015 e presente a primeiro interrogatório judicial, ficando a aguardar julgamento em liberdade, com suspensão de funções e proibição de contactos com os menores da instituição.

A acusação resultou de um inquérito relativo a factos alegadamente praticados, entre 2008 e 2014, no Lar Nossa Senhora de Fátima da Santa Casa da Misericórdia de Reguengos de Monsaraz, encerrado em maio de 2015 e que acolhia crianças e jovens em risco.

Pouco mais de um mês após a detenção da mulher, a Misericórdia de Reguengos de Monsaraz fechou a instituição para proceder a uma reestruturação e repensar o seu modelo de funcionamento, transferindo 24 crianças e jovens institucionalizados para outros lares semelhantes noutras localidades.

SYM // MLM

Lusa/Fim

+ notícias: País

Infarmed no Porto: legal ou ilegal?

Há cada vez mais dúvidas quanto à legalidade da decisão de transferir os trabalhadores do Infarmed de Lisboa para o Porto. Os especialistas em direito do trabalho falam num vazio legal, já que a lei das funções públicas não é clara. Apesar disso, a Federação de Sindicatos da Administração Pública assegura que nenhum trabalhador corre o risco de perder o emprego se não aceitar ser transferido.

Nove em cada 10 vítimas de violência doméstica não recorre a apoios

Nove em cada dez vítimas de violência doméstica não pedem ajuda ao sistema público de apoio, por desconhecimento, isolamento ou dificuldades no acesso aos serviços, disse à Lusa Elisabete Brasil, da União de Mulheres Alternativas e Resposta (UMAR).

Poluição aumenta devido à seca extrema

As emissões poluentes e os custos da produção de eletricidade dispararam por causa da seca. A associação ambientalista zero está preocupada com as emissões de Dióxido de Carbono e considera que o país deve apostar em energias renováveis.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS