Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Remessas dos emigrantes subiram 44,4% em janeiro, passando para 333,4 milhões

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 20 mar (Lusa) - As remessas dos emigrantes subiram 44,4% em janeiro, para 333,4 milhões de euros, enquanto as verbas enviadas pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal aumentaram 1,7% para 45,5 milhões de euros.

De acordo com o Boletim Estatístico do Banco de Portugal, hoje divulgado, as verbas enviadas pelos portugueses a trabalhar no estrangeiro passaram de 230,9 milhões de euros, em janeiro de 2016, para 333,4 milhões de euros, no primeiro mês deste ano.

Como tradicionalmente, os portugueses em França e na Suíça enviaram os valores mais altos (112,7 e 79,2 milhões), representando aumentos de 52,8% e 33,2%, respetivamente.

Em sentido inverso, as remessas dos estrangeiros a trabalhar em Portugal subiram 1,7%, tendo subido de 44,78 milhões no primeiro mês de 2016 para 45,55 milhões de euros em janeiro deste ano.

O Brasil, como habitualmente, representou a maior fatia, tendo ultrapassado os 19 milhões de euros em janeiro deste ano, apesar da descida de 9,2% face aos 20,98 milhões enviados no primeiro mês do ano passado.

Os valores de janeiro mantêm a tendência registada no total do ano passado, em que as remessas dos emigrantes aumentaram 0,83%, para 3.343 milhões de euros, ao passo que o dinheiro enviado pelos estrangeiros a trabalhar em Portugal subiu 2,16%, para 533,9 milhões de euros.

No total de 2016, as remessas dos emigrantes portugueses passaram de 3.315,6 milhões de euros, em 2015, para 3.343,2 milhões de euros; em sentido inverso, as remessas enviadas pelos imigrantes em território português passaram de 522,61 milhões de euros, em 2015, para 533,9 milhões, no ano passado.

MBA // PJA

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Desempregados inscritos nos centros de emprego com maior redução de sempre em fevereiro

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 15,3% em fevereiro, face a igual mês de 2016, para 487.629 pessoas, representando a maior redução em termos homólogos desde que há registo.

CGD: Maior aposta no financiamento a empresas implicou subida do crédito em risco - Vara

Lisboa, 22 mar (Lusa) - O antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Armando Vara, revelou hoje que quando a gestão de Santos Ferreira decidiu aumentar quota no segmento empresarial tinha consciência de que ia haver aumento do crédito em risco.

Reformas antecipadas com mais de 48 anos de contribuições deixam de ser penalizadas

Lisboa, 22 mar (Lusa) -- O Governo propôs hoje aos parceiros sociais que os trabalhadores com pelo menos 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...