Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Lesados do Banif acorrentam-se em protesto frente ao edifício do Santander em Lisboa

| Economia
Porto Canal com Lusa

Lisboa 20 mar (Lusa) - Um grupo de lesados do Banif iniciaram cerca das 07:20 um protesto na Avenida Calouste Gulbenkian, em Lisboa, frente ao edifício do Santander Totta, pendurando um manequim enforcado de tamanho real no viaduto sobre a avenida.

Segundo constatou a Lusa no local, alguns elementos do grupo, num protesto surpresa, acorrentaram-se aos postes existentes na avenida com correntes e algemas.

Os manifestantes estavam pelas 07:30 a colocar cartazes que podem ser vistos pelos automobilistas que acedem à Praça de Espanha e onde se podem ler frases como "Retirem o vosso dinheiro, o Santander Totta é espanhol", "A resolução do Banif é igual à segunda invasão espanhola" e "Resolução do Banif foi um circo, nós não somos palhaços".

Junto com o manequim enforcado, os manifestantes penduraram um outro cartaz onde se lê "Lesados Banif", com as palavras Santander Totta e Banif riscadas.

Em 20 de dezembro de 2015, o Governo e o Banco de Portugal anunciaram a resolução do Banif -- Banco Internacional do Funchal, com a venda de parte da atividade bancária ao Santander Totta, por 150 milhões de euros, e a transferência de outros ativos - incluindo 'tóxicos' - para a nova sociedade veículo.

PSP/SO // SB

Lusa/fim

+ notícias: Economia

Desempregados inscritos nos centros de emprego com maior redução de sempre em fevereiro

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego baixou 15,3% em fevereiro, face a igual mês de 2016, para 487.629 pessoas, representando a maior redução em termos homólogos desde que há registo.

CGD: Maior aposta no financiamento a empresas implicou subida do crédito em risco - Vara

Lisboa, 22 mar (Lusa) - O antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos (CGD), Armando Vara, revelou hoje que quando a gestão de Santos Ferreira decidiu aumentar quota no segmento empresarial tinha consciência de que ia haver aumento do crédito em risco.

Reformas antecipadas com mais de 48 anos de contribuições deixam de ser penalizadas

Lisboa, 22 mar (Lusa) -- O Governo propôs hoje aos parceiros sociais que os trabalhadores com pelo menos 48 anos de descontos para a Segurança Social e 60 anos de idade se possam reformar antecipadamente sem qualquer penalização.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...