Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Marinha colombiana encontra cocaína do segundo maior grupo de guerrilha do país

| Mundo
Porto Canal com Lusa

Bogotá, 20 mar (Lusa) -- A marinha da Colômbia anunciou hoje ter encontrado hoje em Chocó, na fronteira com o Panamá, três depósitos de cocaína dos guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional, alegadamente para enviar para a América Central.

O Exército de Libertação Nacional (ELN) é o segundo maior movimento de guerrilha no país, a seguir às Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) que, no ano passado, assinaram um acordo de paz com o Governo do Presidente Juan Manuel Santos.

"O desenrolar de operações militares pela força naval do Pacífico e marinha resultou na descoberta de três enseadas que pertencem ao ELN, nas proximidades da fronteira com o Panamá, nas quais foram encontradas aproximadamente uma tonelada e meia de cocaína", disse o coronel da Infantaria da Marinha colombiana, Héctor Restrepo, aos jornalistas.

A operação decorreu numa praia no município de Juradó, departamento de Chocó, disseram as autoridades, que tentam descobrir o paradeiro dos rebeldes que cuidavam dos abrigos onde foi encontrada a droga.

No local foram ainda encontradas duas lanchas, nas quais os guerrilheiros do ELN pretendiam alegadamente transportar a cocaína para a América Central, de acordo com um comunicado da marinha colombiana.

DM // EJ

Lusa/Fim

+ notícias: Mundo

Pyongyang recusa diálogo direto com administração Trump nos próximos 200 anos

A Coreia do Norte garantiu este domingo não dialogará de forma direta com a administração de Donald Trump "nem em 100 ou 200 anos", numa reação às críticas a Pyongyang feitas pelo gabinete do vice-presidente Mike Pence.

Pelo menos 38 mortos em dois atentados na Somália

Pelo menos 38 pessoas foram mortas, na sexta-feira, em dois atentados com carros armadilhados que visavam o palácio presidencial e um hotel da capital da Somália, informaram este sábado os serviços de resgate e policiais somalis.

Trump diz que ideia de armar professores terá forte efeito dissuasor

O presidente dos Estados Unidos reiterou hoje, através do Twitter, a intenção de dar armas aos professores para prevenir tiroteios nas escolas, dizendo que a medida abrangeria docentes com "treino especial" e "solucionaria o problema instantaneamente".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.