Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Incumprimento financeiro ameaça investimentos em Moçambique

| Economia
Porto Canal com Lusa

Londres, 19 mar (Lusa) - A consultora Business Monitor Internacional considera que o incumprimento financeiro de Moçambique, em janeiro, e a dívida pública em níveis insustentáveis ameaça os investimentos públicos e privados no país, à exceção do setor do gás.

"Moçambique vai enfrentar um período de crescimento económico baixo até 2018, devido ao recente incumprimento financeiro e ao peso insustentável da dívida, que dificulta os investimentos, quer do setor público, quer do privado", escrevem os especialistas desta consultora do grupo Fitch, numa nota de análise a que a Lusa teve acesso.

No comentário, os analistas dizem que a exceção ao ceticismo dos investidores está no setor do gás natural, já que esperam "progressos nos projetos da Eni e da Anadarko nos próximos meses", o que aliás já está a acontecer, com a entrada da Exxon Mobil no projeto da Área 4, na Bacia do Rovuma.

A economia de Moçambique deverá abrandar para 3% este ano, acelerando ligeiramente para 3,5% em 2018, mas mantendo-se bem abaixo da média entre 2010 e 2016, quando a riqueza se expandia a um ritmo médio de 6,5% ao ano, segundo as previsões destes consultores.

"A nossa visão pessimista sobre a evolução económica de Moçambique a curto prazo é largamente baseada no hiato temporário que prevemos que exista no modelo de crescimento do país, que assenta principalmente no desenvolvimento de infraestruturas", escrevem os analistas.

O 'default' de janeiro, no entanto, "vai exacerbar o fraco sentimento dos investidores, que já estava a sofrer com a queda dos preços das matérias-primas", o que significa, concluem, que Moçambique deverá ser menos atrativo para as indústrias mais importantes para o país, que já de si sofrem dificuldades de acesso a financiamento necessário para crescer.

MBA // VM

Lusa/Fim

+ notícias: Economia

Cerca de 30 pessoas protestam em Lisboa contra fecho da CGD em Pedras Salgadas

Cerca de 30 pessoas estão, esta terça-feira, a protestar em frente à sede da Caixa Geral de Depósitos (CGD), em Lisboa, contra o fecho da agência de Pedras Salgadas, no concelho de Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real.

Atualizado 20-06-2018 15:48

Produção no setor da construção sobe em abril com Portugal acima da média da UE

A produção no setor da construção aumentou, em abril, 1,8% na zona euro e 0,9% na União Europeia (UE), face ao mesmo mês de 2017, segundo o Eurostat, com Portugal a subir acima da média (3,2%).

Portugal com segunda menor taxa de oferta de emprego da UE no 1º trimestre

Portugal registou a segunda menor taxa de ofertas de emprego (0,9%) no primeiro trimestre, menos de metade da média da zona euro (2,1%) e da União Europeia (UE 2,2%), segundo o Eurostat.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.