Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Marcelo acredita que Portugal "vai fazendo o seu caminho" junto dos mercados

| Política
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 mar (Lusa) - O Presidente da República relativizou hoje a decisão da Standard & Poor's quanto ao 'rating' de Portugal, manifestando-se convicto de que vêm aí dados positivos e o país "vai fazendo o seu caminho" junto dos mercados.

"Como aliás já disse o senhor primeiro-ministro, contra factos não há argumentos. E, portanto, na medida em que o Instituto Nacional de Estatística (INE) venha a apresentar dados que nós esperamos positivos e que o Eurostat reconheça como positivos e que a Comissão Europeia tenha de reconhecer como positivos, isso vai fazendo o seu caminho em termos de aceitação pelos mercados, pelas agências de 'rating'", declarou.

Marcelo Rebelo de Sousa, que falava aos jornalistas no final de uma visita à Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), realçou que Portugal fez uma emissão de dívida "há menos de 48 horas, a juros negativos, dívida de curto prazo, batendo o 'record' em termos de juros negativos numa emissão de dívida pública portuguesa".

"Isto era impensável há seis meses, há um ano, há dois anos, há três anos, há quatro anos, estarmos a emitir dívida pública a juros negativos", disse o chefe de Estado.

Quanto à decisão da agência de notação financeira Standard & Poor's de manter a nota atribuída a Portugal em 'BB+', ou 'lixo', com perspetiva estável, o Presidente da República afirmou que "era aquilo que se esperaria".

"Em qualquer caso, isto significa que não houve um juízo negativo quanto à evolução da dívida pública portuguesa e da economia portuguesa e das finanças portuguesas. Isso é bom neste momento", considerou.

Marcelo Rebelo de Sousa insistiu, contudo, que há dados a ter em conta, que ainda não são conhecidos.

"Nós ainda não temos os números do INE, que sairão no final do mês. Não temos ainda o Eurostat, que sairá provavelmente no começo do mês que vem. Não temos ainda a decisão da Comissão Europeia. Sabemos que o défice está abaixo de 3, abaixo de 2,5, provavelmente abaixo de 2,3. Veremos até onde é que vai o défice", referiu.

IEL // VAM

Lusa/Fim

+ notícias: Política

António Costa apela a quem saiba de mais vítimas de Pedrógão Grande para informar PJ e MP

O primeiro-ministro, António Costa, apelou hoje a que quem tenha conhecimento de um maior número de vítimas no incêndio de Pedrógão Grande, em junho, o comunique de imediato à Polícia Judiciária e ao Ministério Público.

Constança Urbano de Sousa nega existência de "lista secreta" de vítimas de Pedrogão Grande

A Ministra da Administração Interna garantiu hoje que "não existe uma lista secreta" das vítimas mortais do incêndio de Pedrogão Grande, sublinhando que os nomes constam de um processo judicial que está em segredo de justiça.

BE quer "reconstrução" de direitos laborais e crescimento económico para todos

A coordenadora do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, pediu este domingo medidas para que o crescimento económico "chegue a todas as pessoas", defendendo "a reconstrução" de "direitos na legislação laboral que permitam a valorização de todos os salários".

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS