Info

Governo considera "globalmente positivo" relatório da OCDE para a saúde

| Política
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 22 nov (Lusa) -- O ministro da Saúde considerou hoje o relatório da OCDE sobre o setor como globalmente positivo para Portugal, embora reconheça que há áreas que precisam de mais investimento, como a dos cuidados continuados.

"O que o relatório demonstra é que o Serviço Nacional de Saúde se tem mostrado resiliente, ou seja, os indicadores são globalmente positivos", afirmou Paulo Macedo aos jornalistas, a propósito do documento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) divulgado na quinta-feira.

Sublinhando que a diminuição do investimento na área da saúde é comum a todos os países, o ministro lembrou que o documento se reporta a anos do anterior Governo, mas insistiu que o relatório vem provar que "o sistema está a reagir bem", apontando para melhoramentos em Portugal em diversos fatores.

Segundo a OCDE, Portugal gastou menos 2,2% na saúde entre 2009 e 2011, revertendo a tendência de aumento médio entre 2000 e 2009 de 1,8%.

Sobre a área dos cuidados continuados, onde Portugal surge como o segundo país da OCDE em que a despesa é menor, Paulo Macedo assumiu que é necessário mais investimento.

"Nos cuidados continuados teremos de investir bastante mais, quer pelo envelhecimento da população, quer porque há também um conjunto de pessoas mais vulneráveis. Temos feito um forte investimento nestes últimos anos e nos próximos haverá que continuar", afirmou, à margem do Congresso da Ordem dos Médicos Dentistas, que decorre até sábado em Lisboa.

De acordo com o documento da OCDE, a despesa pública portuguesa em cuidados de saúde representa apenas 0,2% do Produto Interno Bruto (PIB).

ARP // SO

Lusa/fim

+ notícias: Política

Grande Reportagem: quais as diferenças na habitação social gerida pelas Câmaras e pelo Estado?

Em Portugal, a habitação social funciona a duas velocidades. As casas geridas pelas autarquias estão, na maior parte dos casos, em muito melhor estado do que as que pertencem ao Estado Central. O Porto Canal foi perceber quais as diferenças na habitação social que é gerida pelas Câmaras Municipais e aquela que é gerida pelo Estado.

Câmara do Porto assume falha na avaliação do impacto de construção nas Fontainhas

O presidente da Câmara do Porto assumiu esta segunda-feira que os serviços da autarquia e da Direção Geral do Património Cultural "falharam" na avaliação dos impactos de uma construção junto ao Passeio das Fontainhas cuja altura ultrapassa o muro público.

Atualizado 23-07-2019 11:25

Autarquia do Porto assina protocolo com instituições privadas onde oferece 63 bolsas de estudo

A Câmara Municipal do Porto assinou um protocolo com 12 instituições de ensino privado da cidade e vai oferecer 63 bolsas de estudo. As candidaturas já estão abertas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.