Info

Presidente da República apela à serenidade em "tempo que não é fácil para Portugal"

Presidente da República apela à serenidade em "tempo que não é fácil para Portugal"
| Política
Porto Canal

O Presidente da República apelou hoje à serenidade num "tempo em que não é fácil para Portugal", mas escusou-se a falar sobre a manifestação das forças de segurança realizada na quinta-feira em frente à Assembleia da República.

"Não tenho ainda informação completa sobre o que aconteceu, porque ainda não tive oportunidade de falar com o Governo e, por isso, numa circunstância destas o meu apelo só pode ser um: serenidade, que se mantenha a serenidade neste tempo que não é fácil para Portugal, em que dependemos tanto, tanto dos credores que nos observam todos os dias", afirmou o chefe de Estado, quando questionado sobre a manifestação das forças de segurança.

Interrogado se não é criticável que a polícia de choque nada tenha feito quando os manifestantes começaram a subir as escadarias do parlamento, ao contrário da atuação em outras manifestações, Cavaco Silva reiterou que não tem ainda "informação completa sobre o que aconteceu" e não fará "qualquer declaração" enquanto não falar com o Governo.

O Presidente da República lembrou, contudo, que sempre manifestou "um grande apreço" pelas forças de segurança, "reconhecendo a sua capacidade para manter a ordem pública e garantir aos cidadãos a segurança das pessoas e dos seus bens"

"É isso que os portugueses esperam da nossa polícia", acrescentou o chefe de Estado, que falava aos jornalistas no final da inauguração do centro internacional da Nokia, em Alfragide.

+ notícias: Política

"O PS continua a ser muito permeável a conjunto de interesses"

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Partido Socialista "continua a ser muito permeável a conjunto de interesses que sempre moldaram a atuação" dos socialista e que isso se reflete na hora de votar.

Mariana Mortágua defende que a Caixa Geral de Depósitos devia financiar setores estratégicos para o país

Mariana Mortágua, deputada do Bloco de Esquerda, afirma que o Governo, em coordenação com o Parlamento, deveria definir a estratégia de atividade da Caixa Geral de Depósitos para se "evitar financiar atividades especulativas de empresários aventureiros" e dar prioridade a financiar setores estratégicos para o país.

Ministra Marta Temido encabeça lista do PS pelo círculo de Coimbra

 A ministra da Saúde, Marta Temido, vai encabeçar a lista socialista pelo círculo eleitoral de Coimbra nas próximas eleições legislativas, disse à agência Lusa a secretária-geral adjunta do PS, Ana Catarina Mendes.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS