Info

PSD e CDS-PP voltam a aprovar cortes nos salários a partir de 675 euros

| Política
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 22 nov (Lusa) - PSD e o CDS-PP aprovaram hoje novamente os cortes entre 2,5% e 12% nos salários dos trabalhadores das administrações públicas e das empresas do Estado a partir dos 675 euros, que a oposição obrigou a nova votação em plenário.

A proposta já tinha sido aprovada esta quinta-feira na especialidade, nas votações que decorreram durante a tarde na comissão de orçamento, finanças e administração pública, mas os partidos da oposição avocaram para plenário tanto as propostas de eliminação deste artigo como a votação da própria norma.

O resultado não foi diferente, apesar do debate que precedeu a votação.

O PS alinhou com a oposição a votar contra as alíneas do artigo que corta os salários que estabeleciam por exemplo o valor dos cortes, a mudança do limite mínimo a partir do qual se começam a aplicar os cortes de 600 para 675 euros mensais e a formula de calculo para aplicar o corte, mas votou contra as propostas de eliminação que o BE, o PCP e Os Verdes apresentaram.

Assim, a maioria acabou por viabilizar novamente o artigo incluído na proposta de Orçamento do Estado para 2014 que cria um novo sistema de cortes nos trabalhadores em funções públicas.

A proposta original do Governo era que o corte começasse nos 600 euros, mas os partidos da maioria acabaram por aligeirar, com o apoio do Governo, o limite mínimo a partir do qual os cortes começam a ser aplicados para os 675 euros.

Esta mudança tem um custo estimado para o orçamento em torno dos 21 milhões de euros.

O corte nos salários dos trabalhadores em funções públicas é suposto ser transitório, apesar de vários membros do Governo garantirem que este não é anual.

Este corte substitui os cortes entre 3,5% e 10% que entraram no Orçamento do Estado para 2011, mas que se aplicavam nos salários superiores a 1.500 euros.

Esta proposta previa uma poupança líquida de mil milhões de euros para o Estado.

A Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) estima que a poupança integral com os novos cortes ronde os 1.700 milhões de euros.

NM/ND//

Lusa/fim

+ notícias: Política

Bloco de Esquerda defende englobamento no IRS para criar mais justiça fiscal

A coordenadora do BE defendeu hoje o englobamento de rendimentos no IRS como forma de aliviar a carga fiscal para quem trabalha e criar mais justiça fiscal, cobrando a quem ganha rendimentos de capital.

João Galamba anuncia criação de refinaria de lítio perto do Porto

O secretário de Estado Adjunto e da Energia anunciou numa entrevista televisiva que na região do Porto vai nascer uma refinaria de Lítio. João Galamba não revelou em concreto onde, quando ou que empresa vai ficar responsável.

Secretária de Estado da Valorização do Interior desvaloriza eventuais mudanças da descentralização de secretarias

A descentralização de secretarias de Estado anunciada pelo próprio Governo parece continuar a ser assunto tabu. Desta feita foi a secretária de Estado da Valorização do Interior que relativizou o assunto.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.