Info

PS critica manifestantes mas culpa Governo pela situação "dramática" das forças de segurança

| Política
Fonte: Agência Lusa

Lisboa, 22 nov (Lusa) - O PS critica a atuação dos manifestantes das forças de segurança na quinta-feira, no parlamento, mas compreende a situação "dramática" dos agentes e acusa o Governo de insensibilidade face à especificidade das forças policiais.

Esta posição foi transmitida à agência Lusa pelo secretário nacional do PS António Galamba, depois de confrontado com o facto de na quinta-feira à noite manifestantes de forças de segurança terem rompido o cordão policial e invadido a escadaria da Assembleia da República.

"O PS compreende as razões da manifestação dos agentes das forças de segurança e compreende a situação dramática de muitos dos agentes. O PS tem também a clara noção de que a operacionalidade das forças de segurança está em risco e que a proposta do Governo de Orçamento do Estado para 2014 só agravará mais a situação", declarou António Galamba.

Neste contexto, António Galamba acusou o Governo "de revelar uma total insensibilidade face à especificidade da missão das forças de segurança", mas demarcou-se da atuação dos manifestantes que se concentraram junto ao parlamento.

"Num Estado de Direito democrático não nos parece aceitável que cidadãos com responsabilidades acrescidas possam ter um comportamento sem enquadramento legal - um comportamento que não admitem a outros cidadãos quando estão no exercício das suas funções", frisou o membro do Secretariado Nacional do PS.

PMF // SMA

Lusa/fim

+ notícias: Política

Grande Reportagem: quais as diferenças na habitação social gerida pelas Câmaras e pelo Estado?

Em Portugal, a habitação social funciona a duas velocidades. As casas geridas pelas autarquias estão, na maior parte dos casos, em muito melhor estado do que as que pertencem ao Estado Central. O Porto Canal foi perceber quais as diferenças na habitação social que é gerida pelas Câmaras Municipais e aquela que é gerida pelo Estado.

Câmara do Porto assume falha na avaliação do impacto de construção nas Fontainhas

O presidente da Câmara do Porto assumiu esta segunda-feira que os serviços da autarquia e da Direção Geral do Património Cultural "falharam" na avaliação dos impactos de uma construção junto ao Passeio das Fontainhas cuja altura ultrapassa o muro público.

Atualizado 23-07-2019 11:25

Autarquia do Porto assina protocolo com instituições privadas onde oferece 63 bolsas de estudo

A Câmara Municipal do Porto assinou um protocolo com 12 instituições de ensino privado da cidade e vai oferecer 63 bolsas de estudo. As candidaturas já estão abertas.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS