Jornal Diário Jornal das 13 Último Jornal

Ministra preocupada com furto de armas da PSP aguarda conclusões das investigações

| País
Porto Canal com Lusa

Lisboa, 17 fev (Lusa) -- A ministra da Administração Interna disse hoje estar preocupada com o furto de 50 pistolas das instalações da direção nacional da PSP, mas aguarda a conclusão das investigações para decidir se deve haver alterações nos procedimentos.

"É naturalmente algo que me preocupa e por isso mesmo já existe não só uma inspeção em curso, processos disciplinares, mas também uma investigação criminal em curso. Precisamos de esperar pelas conclusões", cuja competência é do Ministério Público, disse Constança Urbano de Sousa na direção nacional da PSP, à margem da entrega de 34 viaturas novas à polícia.

Na quinta-feira, um comunicado do MAI informava que a PSP tinha suspendido de funções dois agentes e instaurado um inquérito ao armazenamento de armas da direção nacional após terem sido extraviadas 50 armas de nove milímetros.

Questionada sobre possíveis alterações nos procedimentos, a ministra insistiu na necessidade da inspeção da PSP, dos inquéritos disciplinares e da investigação criminal estarem concluídas para ser tomada alguma decisão.

"Precisamos de esperar pelas conclusões para perceber exatamente quais os contornos desta situação. Quando houver conclusões logo se vai determinar quais os procedimentos a seguir", disse.

CC // JPF

Lusa/Fim

+ notícias: País

Jovem de 16 anos morre em acidente na cidade de Tondela

Um jovem de 16 anos morreu hoje na sequência de uma colisão entre um motociclo e um veículo ligeiro, numa avenida da cidade de Tondela, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Viseu.

Dez distritos do continente sob aviso amarelo devido à agitação marítima

Dez distritos de Portugal continental estão hoje e sexta-feira sob aviso amarelo devido à previsão de agitação marítima, encontrando-se seis barras marítimas fechadas à navegação, segundo o Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA) e a Marinha.

Trabalhadores da Raríssimas alertam para risco de fecho por falta de dinheiro

Os trabalhadores da "Raríssimas" avisaram hoje que a associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelaram ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o funcionamento.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

DESCUBRA MAIS