Jornal das 13 Jornal Diário Último Jornal

Grávida perde bebé devido a demora de atendimento na Unidade da Guarda

Grávida perde bebé devido a demora de atendimento na Unidade da Guarda
Redes Sociais
| Norte
Porto Canal (AYR)

Cláudia Costa, grávida no fim da gestação, apresentava perdas de sangue e esperou uma hora e meia por ser atendida pelo obstetra na Unidade da Guarda, acabando por perder a bebé, avança, esta sexta-feira, o Jornal de Notícias (JN).

Cláudia Costa, de 39 anos, tinha o parto marcado para dia 27 deste mês quando, esta quinta-feira, apresentava perdas de sangue e decidiu dirigir-se à Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda.

De acordo com o que o JN indica, Cláudia entrou em trabalho de parto e foi colocada nas chamadas ‘cintas’ de forma a controlarem o batimento cardíaco da bebé. Estando o batimento acelerado foi chamado o obstetra de serviço.

Uma hora e meia depois apareceu o obstetra reformado de Santarém e indicou que já não havia nada a fazer. O corpo da bebé foi levado para o Instituto de Medicina Legal do Porto.

A administração da Unidade da Guarda já abriu um processo de averiguações para apuramento de responsabilidades na morte da bebé sendo alegada falta de assistência.

"O Conselho de Administração (CA) da ULS da Guarda confirma que deu entrada, ontem [quinta-feira], às 09h30, uma senhora de 39 anos, na urgência de obstetrícia, e que manifestava perdas de sangue pouco significativas tendo de imediato sido registada às 09h34. Feita a ecografia fetal confirmou a morte do feto. A mãe foi encaminhada para o bloco operatório e submetida a uma cesariana", explicou esta sexta-feira aos jornalistas, o presidente do CA da ULS da Guarda.

Indicou ainda que estavam ao serviço dois obstetras e que o atraso de um dos especialistas de serviço "é uma matéria que fica para ser analisada pelos inquiridores que foram nomeados".

Em 2015, a ULS da Guarda foi considerada como hospital "amigo dos bebés".

+ notícias: Norte

Encontrado corpo à deriva no rio Douro em Avintes

Foi encontrado, este sábado, um corpo à deriva no Rio Douro, em Avintes, avança fonte dos Bombeiros Sapadores de Gaia ao Porto Canal.

Autor de massacre em Barcelos já está no tribunal a ser ouvido

Adelino Briote, autor da morte de quatro pessoas, já está no Tribunal de Barcelos para ser ouvido e interrogado, este sábado, pela juíza de instrução criminal de Braga.

Adelino Briote já tinha sido condenado no passado por violência doméstica

Este crime estará relacionado com um caso que remonta a 2015. Na altura, Adelino Briote agrediu a filha e sogra com um ferro. Foi condenado a três anos e dois meses de pena suspensa e jurou vingança.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS

Imperdíveis

Casa Ermelinda Freitas em Águas...

Nota Alta

"Eu ainda não senti a...