Info

Trabalhadores da Misericórdia do Porto têm agora "direito à desconexão"

Trabalhadores da Misericórdia do Porto têm agora "direito à desconexão"
google
| Norte
Porto Canal (MYR)

A Santa Casa da Misericórdia do Porto anunciou, esta sexta-feira, ter adotado o direito à desconexão dos seus cerca de 1500 trabalhadores, proporcionando aos colaboradores não serem obrigados a responder a chamadas ou e-mails foram do horário de trabalho, avança o Diário de Notícias.

O direito dos trabalhadores a um descanso efetivo entre as jornadas de trabalho tem sido alvo de debate internacional. Misericórdia do Porto é pioneira na abordagem desta problemática no nosso país e acompanha a tendência ao regulamentar o direito à desconexão dos seus perto de 1500 colaboradores.

Em comunicado, a Misericórdia do Porto refere que são estabelecidas regras para a utilização de correio eletrónico, chamadas móveis e outros meios de comunicação à distância, fora das horas de trabalho convencional.

O Provedor, António Tavares, salvaguarda "o direito a um descanso efetivo entre as jornadas de trabalho, a necessária conciliação entre a vida profissional e a vida familiar, a proteção da segurança e saúde do trabalhador, bem como o direito ao descanso, ao repouso e à integridade física e mental" dos colaboradores da Misericórdia do Porto.

António Tavares estabelece regras para a utilização de correio eletrónico, chamadas móveis e outros meios de comunicação à distância, fora das horas de trabalho convencional. "Os colaboradores, por via de regra, no período pós-laboral, não são obrigados a responder a correios eletrónicos ou a chamadas móveis".

+ notícias: Norte

Prisão efetiva até 10 anos para 19 acusados de traficar drogas no Porto

O tribunal de São João Novo, no Porto, aplicou hoje penas de prisão efetivas, entre ano e meio e 10 anos, a 19 dos 23 acusados por tráfico de drogas “duras” a partir do bairro do Aleixo, naquela cidade.

Urgência pediátrica em Chaves sem médico em permanência durante a noite

A urgência de pediatria do Hospital de Chaves está sem médico permanente durante a noite, entre as 20:00 e as 08:00, pelo menos desde o verão do ano passado, revelou hoje à Lusa uma associação de pais do concelho.

Segurança Social de Matosinhos vive dias de caos completo

Filas de espera intermináveis e más condições são algumas das queixas dos utentes da Segurança Social em Matosinhos. Todas as manhãs o caos instala-se. O Instituto da Segurança Social diz que estão a ser feitos esforços para encontrar um novo espaço e melhorar condições.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.