Info

Filas de meia hora nos Jerónimos para prestar homenagem a Mário Soares

| País
Porto Canal com Lusa

Prestar uma última homenagem ao antigo Presidente da República Mário Soares, cujo corpo está em câmara ardente no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, demora meia hora, com as filas a manterem-se idênticas ao longo da tarde.

Sem queixas nem reclamações, exceto só haver uma entrada (junto do Museu de Arqueologia) para poder depois entrar no mosteiro, centenas de pessoas estão a passar junto da urna com os restos mortais de Mário Soares, em silêncio mas sem outras manifestações de pesar.

Ao longo da tarde as filas têm sido constantes. Desde o início e até se chegar à entrada do Mosteiro demoram-se 15 minutos, sendo necessários outros 15 para chegar junto da urna, na sala dos Azulejos e ladeada de uma guarda de honra.

Sem grandes conversas enquanto esperam e tendo de passar por um detetor de metais, algumas pessoas trazem consigo ramos de flores, mas que são recolhidas à entrada do Mosteiro do Jerónimos pelos elementos da agência funerária, que depois os colocam nos claustros, onde já estão cerca de duas dezenas de coroas.

São essencialmente cidadãos comuns, entre eles por vezes pessoas conhecidas, seja por atividade política (como Francisco Louçã) seja por outras, como o antigo procurador-geral da República Cunha Rodrigues ou o cardeal patriarca de Lisboa Manuel Clemente.

Para os que querem apenas escrever no livro de condolências são necessários apenas cerca de 10 minutos em fila. A Lusa questionou os responsáveis sobre quantas pessoas já tinham assinado o livro às 16:30 mas foi dito que essa contabilidade não está a ser feita. Estão disponíveis ao mesmo tempo seis livros mas nenhum está cheio, como constatou a Lusa.

+ notícias: País

Operação Páscoa 2019 da GNR regista 438 acidentes nos dois primeiros dias

A Operação Páscoa 2019 da GNR registou nos dois primeiros dias um total de 438 acidentes, dos quais resultaram 10 feridos graves, segundo dados hoje divulgados pela força de segurança.

Morreram 129 pessoas em 2019 nas estradas, autoridades responsabilizam uso de telemóvel

A Secretaria de Estado da Proteção Civil informou hoje que morreram 129 pessoas nas estradas portuguesas, menos uma morte do que em período homólogo de 2018 e o telemóvel ao volante tem contribuído para aumento de vítimas.

Atualizado 20-04-2019 12:00

Caos nos postos de abastecimento de combustível acabou mas GLP continua em falta

Acabou o caos nos postos de abastecimento de combustível. Depois da greve de três dias dos motoristas de matérias perigosas, está tudo a voltar à normalidade com a gasolina e o gasóleo já garantidos na maior parte das bombas. Em falta está ainda o GPL.

Atenção: este é um espaço público e moderado. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

RELACIONADAS

DESCUBRA MAIS